Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

solidão

“os versos assemelham-se a um corpo
quando cai
ao tentar de escuridão a escuridão
a sua sorte

nenhum poder ordena
em papel de prata essa dança inquieta”

(josé tolentino mendonça)



a manhã é o meu suplício, na tentativa quase que absurda de resgatar forças para recomeçar. abro os olhos e vejo a inutilidade das horas, o fel da insegurança, o desespero de não conseguir agarrar o tempo. o jorge saiu cedo. resta-me o beijo de despedida, as palavras doces da noite anterior e a nossa cadeirinha da praxe. tudo o resto se resume num vazio doloroso, com a solidão a fazer de mim uma marioneta.
lunapensativa
Enviado por lunapensativa em 07/05/2005
Código do texto: T15388
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
lunapensativa
Portugal, 44 anos
114 textos (10363 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 12:48)
lunapensativa