Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Olhos Azuis ( Documentário de Jane Elliot) - Preconceito

Vídeo que foi apresentado na IBES – Instituto Baiano de Ensino Superior no dia 14/06/2009, aula do professor de Comunicação Empresarial  Moacyr Cabral

Essa resenha que escrevo é uma opinião critica e pessoal de como nós estamos suscetível ao erro, por orgulho, por sentimentos de superioridade, prejudicando outras pessoas moralmente. Foi um vídeo no qual me emocionei e que mostra o preconceito, apesar de ser um assunto difícil de falar, e que existe em todo lugar... Até mesmo no Brasil
Jane Elliot é uma americana de grande coragem e determinação que vive nos Estados Unidos onde questiona as diferenças sociais, até nos  dias atuais.  Ela nos mostra vários  exemplos de perseguições  em uma   dinâmica de  grupo, a intolerância e a subordinação mental que as pessoas  discriminadas são submetidos. A idéia central desse documentário é fazer com que os brancos venham sentir na pele o sofrimento dos negros, provocado pelo preconceito racial. As pessoas de “Olhos Azuis” recebem rótulos, baseado na cor de seus olhos, por um dia, com todos os rótulos negativos usados contra as mulheres, pessoas negras, homossexuais, pessoas com deficiência física e todas outras que sejam diferentes fisicamente.
Sabemos que A alma é uma só, o sangue em nossas veias tem a mesma cor em todo mundo. Todos nós temos as nossas idéias e cada um pode ter seu lugar neste grande espaço que é planeta terra e não podemos diminuir ninguém pela cor de pele, pelo sexo, ou por outras características físicas. Um exemplo muito interessante neste documentário é quando ela nos exemplifica que os primeiros seres humanos nasceram na África a milhões de anos, no equador, e que eles precisavam muito de melanina para se proteger. Quando algumas  pessoas foram migradas pra o norte, receberam menor incidência de luz solar, produzindo menos melanina e afetando o cérebro., causando danos... (como se eles fosse menos inteligentes)... Isso nos mostra o quanto é ridículo julgar as pessoas pela quantidade de melanina na pele... Muitos dos “olhos Azuis” sairiam aborrecidos na sala, informando que se estão assim por esse treinamento por quase 3 horas, onde não teve seus empregos, famílias, renda e futuros ameaçados, que eram para imaginar as pessoas que passam por isso a vida inteira.
   Naquele momento,  imaginei o quanto de pessoas já foram e são recusadas em seus empregos apenas pelo seu aspecto exterior. É necessário da um basta nisto tudo, e acabar com todos os preconceitos sócios e étnicos existentes no nosso mundo: “Todo cigano é ladrão.” "O judeu é perverso”. "Os índios em geral são improdutivos e preguiçosos"; "Todo negro é adepto de feitiçaria". Outros preconceitos: a mulher no volante e o velho vagaroso são ridicularizados e acabam excluídos. Há patrões que defendem: "A todo operário falta a inteligência”. Finalmente lembramos aqui os preconceitos moralistas contra o corpo nu, contra a dança, entre outros.
Esse documentário é um trabalho genial que deve ser visto pelo maior número de pessoas possível!

• Agradeço a meu Professor Moacyr Cabral a essa grande  oportunidade de assistir a esse documentário  e aprendizado a cada dia.
Henriqueta Pereira
Enviado por Henriqueta Pereira em 16/05/2009
Reeditado em 16/09/2009
Código do texto: T1597710
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Henriqueta Pereira
Salvador - Bahia - Brasil, 35 anos
234 textos (101363 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/10/14 20:04)
Henriqueta Pereira



Rádio Poética