Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pequena crítica ao espetáculo multimídia Pedras de Raio - Frederico Barbosa


Em agosto tive a oportunidade de alguns dias de férias e viajar um bocadinho.

Saí desta Província de São Pedro e desembarquei na Avenida Paulista, no núcleo da Paulicéia Desvairada.

Trazia um endereço no bolso e surpresas a me aguardar.
Adentrei o prédio 137, da Paulista, no complexo do Itaú Cultural.Era noite de 17/agosto.

Dentro de uma semana dedicada à poesia : Poesia na idade mídia, apresentava-se o poeta/agitador cultural Frederico Barbosa e seu grupo Viva Voz num recital poético chamado Pedras de Raio, com um mix de poesia, interferências sonoras, música, imagens e paisagens cênicas.

Fred, paramentado como um homem maduro em trajes sociais adentrou o palco e postou-se a um púlpito.Ao fundo, os músicos Marcelo Ferretti, Diego Rodrigues, Elisa Gatti e a atriz Clenir Belezzi de Oliveira.

Um telão projetava os créditos do livro-poema Louco no oco sem beiras.Apoiado por um jogo cênico, simples mas eficiente, Fred. recitava seus poemas de desespero e depressão secundado por Clenir. A cada ênfase dada, um soco no púlpito, como querendo mostrar o poeta interagindo como um agredido/agressor, neste planeta conturbado e hostil. Angústia, tédio, urbanidade emergiam deste longo poema, em meio a luzes enxutas e acordes pesados de violão e guitarra.

Num segundo momento, Fred mostrou sua interface com a música. Letras suas musicadas pelos componentes do grupo desfilavam rocks, bossa-novas, blues com interpretações elogiáveis, sobremaneira da cantora Elisa Gatti.Irrepreensível.Suas letras transitavam pela urbanidade, viajavam através das angústias e preferências contemporâneas.Material para se pensar em futuro CD ou apresentação-solo.

Ao final, os poemas minimalistas do autor.A cidade, o caos, as escolhas musicais, formaram o pano de fundo para uma comunhão entre atriz, poeta e músicos.Momento pungente do espetáculo que manteve um continuum de interesse e expectativa.

Infelizmente, não pude abraçar o poeta.

Fica um amplexo virtual, sob forma de artigo.

Ricardo Mainieri
Enviado por Ricardo Mainieri em 02/09/2005
Código do texto: T47053
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo Mainieri
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 56 anos
1920 textos (29389 leituras)
1 e-livros (105 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 19:42)
Ricardo Mainieri