Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma Relação Pornográfica (Une Liaison Pornographique, 1999, Frédéric Fonteyne)

Uma Relação Pornográfica – Muitos dizem que esse título não convém com o filme e que foi mais um erro de tradução, tão comum nesse ramo. Mas o título em seu original, e não no inglês é esse mesmo. E ainda complementam, “é pornográfico por que é íntimo”.
Frédéric Fonteyne conseguiu fazer um filme tão humano e sensível que chega a incomodar. Convenhamos que em um filme, hoje, você torcer e sofrer por personagens é algo difícil. Devido a distância criada entre o personagem e o espectador, este acaba que não se envolve com a história que está sendo contada na tela.
Nesse longa um homem encontra uma mulher através de classificados para que ela realize suas fantasias sexuais. Logo em seu primeiro encontro eles não conversam muito, constrangidos e distantes logo partem para um hotel para a realização do que foi pedido no anúncio.
A partir desse primeiro encontro vemos que a cada outro encontro a química entre os dois personagens cresce até que eles resolvem que ao invés de fazer as fantasias sexuais eles irão transar como qualquer outro casal. E é aí que o filme tem sua sacada. Eles descobrem que se amam.
A partir daí a coisa começa a complicar, como se fosse mais um casal normal. É tocante ver as decepções e felicidades de cada personagem. Ponto positivo para os atores que estão perfeitos em seus papéis.
O filme é intercalado com depoimentos dos dois personagens pós-separação que relatam aos poucos o que sentiam e o que sentem em relação um ao outro, dando um tom mais realístico à história.
Essa que reflete bem a nossa sociedade atual, que só quer o imediatismo. E tem medo do fixo, de se arriscar, de se apaixonar e amar. O amor acabou separando os personagens pelo medo.
Com diálogos fortes e naturais e uma dinâmica sempre nos puxando cada vez mais para dentro da tela esse filme é uma pérola no meio de tanta bobagem feita no cinema.
Como eu sempre falo, cinema europeu é humano, sensível como o americano nunca vai conseguir ser.
leandroDiniz
Enviado por leandroDiniz em 02/07/2005
Código do texto: T30394
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandroDiniz
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 34 anos
260 textos (273033 leituras)
3 e-livros (430 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 12:11)
leandroDiniz