Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

STAR WARS : Episódio III (Star Wars Episode III - The Revenge of the Sith, 2005 , George Lucas)

STAR WARS : Episódio III - A saga termina

Finalmente, depois de longa e tortuosa década esperando desde o lançamento do Episódio I, chega nos cinemas o Episódio III. Este que vem para finalizar a série introdutória e fazer o link com a trilogia original, que diga-se de passagem permaneceu inalcançável no quesito qualidade.

Para fãns a coisa melhora com várias sitações que remetem aos Episódios IV, V e VI e piora com as furadas do roteiro. Finalmente podemos comprovar que Hayden Christensen não está a altura do papel que tem em mãos. E por momentos do filme sente-se constrangido pela incapacidade do ator. Samuel L Jackson cria um Mace Windu mais automático possível. Ewan McGregor dá conta do recado e Natalie Portman levada a total segundo plano consegue mostrar bem a dor e decepção que se abatem sobre ela.

Não sei se pela falta de Cavaleiros Jedis na saga original, ou por questões orçamentárias, as lutas com o famoso sabre de luz são reduzidas. Já nessa trilogia vemos os bastões de luz voando pela tela com seu famoso som Vrum! passar dezenas de vezes em um único filme. Os tempos são outros, a linguagem é diferente. A ação é estupenda, mas nunca a altura de nos deixar prostrados na cadeira do cinema. São muito mais cenas automáticas com sua burocracia do que de inovação, arte, dança, coreografia. Deixa um pouco a desejar. E já que vemos uma luta a cada meia hora de filme, chega um tempo que enjoa.

George Lucas pode ser um puta produtor, um visionário de renome, mas como diretor ele é mediano. Ele consegue fazer momentos terríveis no filme. Assim como sequências de cenas rápidas com edição frenética que nada acrescentam ao filme, seja visual, estética ou informacionalmente. Deixando outra pessoa dirigir a série conseguiria-se um resultado mais aproveitável.

O filme final é fantástico em seus detalhes. A transição psicológica do personagem Anakin é perfeita e não poderia ser mais bem conduzida, ficando no ar aquela sensação de que um acerto levantou e muito o filme. Algumas cenas são de um primor exepcional, como aquela que mostra os jedis sendo exterminados, é linda e a trilha sonora junto com a edição tornam-na mais memorável. A sequência em que mostra os filhos de Padmé nascendo paralelamente com a construção do Lorde Vader é tocante, e graças a "habilidade" do diretor é imensamente reduzida com um grito a lá filme B de "Nãoooo".

Ian McDiarmid merece um crédito pela sua interpretação corretíssima. Com seu sorriso afável ele faz com que a queda de Anakin seja a mais crível possível. Com uma habilidade de persuasão adequada ele faz com que o jovem Jedi caia para o lado Negro.

Enfim no campo psicológico o filme ganha muito dos outros e encerra com chave de ouro a saga toda, ligando muitos pontos e deixando aquele sentimento muito mais de pena do que de raiva do vilão mais querido da história do cinema. Vemos agora que ele não é mal, apenas foi levado a esse caminho forçosamente. No campo da ação o filme deixa a desejar, mas não porque não o faz direito, mas pela frustração da possibilidade de ter sido bem melhor.

"É assim que a liberdade morre. Em meio a aplausos estrondosos."

"Se você não está comigo, então você é meu inimigo."

"Você era o escolhido, você deveria matar os Siths e não se juntar a eles."

Com frases memoráveis fico com os aspectos bons do filme. Os ruins ponho para escanteio. Um filme que tem o peso que tem, não seria justo ficar apontando cada errinho e exaltando-o. O filme é digno de nota 10 pelo conjunto todo a que se insere. E quem não viu ainda, não sabe o que está perdendo.
leandroDiniz
Enviado por leandroDiniz em 03/07/2005
Código do texto: T30623
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
leandroDiniz
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 34 anos
260 textos (273033 leituras)
3 e-livros (430 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 05:04)
leandroDiniz