Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Estudo comparativo entre Durkeim, Marx e Weber

Durkheim (1858-1917) é considerado um dos pais da Sociologia Moderna,   ele foi de encontro à idéia de Comte, segundo a qual as sociedades só podem manter sua coerência partilhando crenças comuns. Coloca como centro de sua reflexão a exigência do consenso social. A sociedade prevalece sobre o indivíduo, pois quando ele nasce tem de se adaptar às normas já criadas, como leis, costumes, línguas, etc.
O objeto de estudo da Sociologia são os fatos sociais, os quais são regras impostas pela sociedade. É a sociedade, como coletiva, que organiza, condiciona e controla as ações individuais. Propôs um método para a Sociologia que consiste no conjunto de regras que o pesquisador deve seguir para realizar, de maneira correta, suas pesquisas. No qual enfatiza a posição de neutralidade e objetividade que o pesquisador deve ter em relação à sociedade: ele deve descrever a realidade social, sem deixar que suas idéias e opiniões interfiram na observação dos fatos  sociais. Acreditava que a religião tradicional não mais respondia as exigências do que chamava espírito científico.  Ele tentava ver a sociedade como sistema de normas morais. "A sociedade existe apenas nas mentes dos indivíduos."
Marx (1818-1883) é o criador do Marxismo, sua obra tem uma envergadura intelectual inegável enquanto crítica do capitalismo e como sistema interpretativo da realidade social, caindo  na armadilha do cientificismo e do positivismo, vindo a se cristalizar num determinismo dogmático.
  Defendia a existência do socialismo, onde haveria gradual erradicação do Estado, no qual haveria uma  ditadura do proletariado, aonde o povo chegaria ao poder sem o uso de terrorismo, ressaltado a importância do partido dos trabalhadores, que atuaria conscientizando e unindo o proletariado, organizando os seus atos.  Na sua teoria a revolução é usada como meio para transformar a estrutura econômica e social, ou seja, divisão no trabalho.
  As relações de propriedade são entendidas como sendo à base das desigualdades sociais e as mudanças nos modos de produção acontecem devido aos conflitos que se estabelecem entre a classe dominante e a classe dominada.
  A conjugação escola e trabalho seriam capazes de romper com a separação entre trabalho intelectual e manual. Da separação brotaria a alienação e a ideologia. Educação politécnica devido à necessidade de homens preparados, educados para trabalhar em diversos setores/ramos do sistema de produção de acordo com as necessidades da sociedade ou suas próprias inclinações.
  WEBER (1864-1920)  também foi de encontro à idéia de Comte., segundo a qual as sociedades só podem manter sua coerência partilhando crenças comuns. A sociedade pode ser compreendida a partir do conjunto das ações individuais. Estas são de todos os tipos de ação que o indivíduo faz, orientando-se pela ação de outros. Só existe ação social, quando o indivíduo tenta estabelecer algum tipo de comunicação, a partir de suas ações com os demais.
  Estabeleceu quatro tipos de ação social:
  1) ação tradicional: aquela determinada por um costume ou um hábito arraigado;
  2)  ação afetiva: aquela determinada por afetos ou estados sentimentais;
  3) racional com relação a valores: determinada pela crença consciente num valor considerado importante, independentemente do êxito desse valor na realidade;
  4) racional com relação a fins: determinada pelo cálculo racional que coloca fins e organiza os meios necessários.
  Nos conceitos de ação social e definição de seus diferentes tipos, ele não analisa as regras e normas sociais como exteriores aos indivíduos. Para ele as normas e regras sociais são os resultados do conjunto de ações individuais.  Na sua concepção o método deve enfatizar o papel ativo do pesquisador em face da sociedade. Portanto, sua conclusão procede da análise existencial da incompatibilidade dos valores e da luta entre os deuses.

Bibliografia:

QUINTANEIRO, Tânia et al. Um toque de clássicos. Durkheim, Marx e Weber. Belo Horizonte. Ed. UFMG 1996.
ROGÉRIO CORRÊA
Enviado por ROGÉRIO CORRÊA em 05/05/2010
Reeditado em 05/05/2010
Código do texto: T2239370
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ROGÉRIO CORRÊA
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 42 anos
293 textos (41095 leituras)
20 áudios (513 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/11/14 20:39)
ROGÉRIO CORRÊA



Rádio Poética