Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

“Galeria dos Nosso Heróis”

ESCRITOR DA SEMANA
“Galeria dos Nosso Heróis”
 
        Para Adriana Alves Lima, “a civilização, enquanto um arranjo de regras e normas que disciplinam o instinto do homem – desejo por satisfação imediata do prazer próprio – é uma conquista evolutiva recente na história da humanidade”.
        E continua, “graças a essa disciplina, o homem aprendeu a sublimar seus instintos e direcionar comportamentos egoístas aos objetivos civilizados”.
        Concluindo que “desse modo, aprendeu, por exemplo, que para satisfazer seu desejo instintivo por território, casa e conforto, não poderia matar, roubar ou praticar qualquer ato destrutivo contra o coletivo. Ao contrário, aprendeu que deve trabalhar, ato construtivo socialmente, para obter o que quer”.
        Assim, “Galeria dos Nossos Heróis”, editora Ottoni, da psicóloga clínica Adriana Alves Lima, permite ao leitor uma importante reflexão sobre as questões: quais os princípios que defende e valoriza através de seus comportamentos? São aqueles que contribuem para a construção do bem estar coletivo ou para sua destruição?
        O livro nasceu através da coluna assinada pela autora, de mesmo título da obra, “Galeria dos Nossos Heróis”, do informativo “Nossa Posição”, do Núcleo de Pesquisas Psíquicas – NUPEP. O convite para o trabalho foi feito pelo próprio fundador do Núcleo, Jorge Melchiades Carvalho Filho, na intenção de homenagear a trajetória, luta e dedicação de sorocabanos que contribuíram para a formação de uma sociedade mais justa. E pelas próprias palavras de Melchiades, este livro é hoje fruto do sucesso de Adriana.
        Um dos “Heróis” tratados é o Dr. Cármine Graziosi, que durante muitos anos ocupou vários cargos na Prefeitura da cidade, tais como Procurador, Secretário Jurídico e das Finanças, um reconhecido intelectual e poeta. Está no exercício da advocacia há 45 anos, sendo reconhecido como o advogado mais antigo em atividade na cidade.
        Outro “Herói” apontado é o Comandante da Guarda Municipal de Sorocaba, Maurício Caruso, que embora seja nascido em Bernardino de Campos, recebeu do município de Sorocaba o título de cidadão nato. Sua carreira se completa com 30 anos na polícia e 8 anos como comandante da Guarda Civil. Há 25 anos realiza o trabalho de recuperação de viciados.
        Salomão Pavlovisky também é homenageado na obra, jornalista, radialista famoso que em 57 comprou a Rádio Vanguarda AM e em 79 conseguiu a concessão da atual Vanguarda FM. Em 90, conseguiu autorização do governo para a instalação da primeira emissora de TV em UHF no Brasil, em Sorocaba, afiliada ao SBT.
        Há ainda a Professora Glaucí Kubn Pletsch, que desde 2000 atua como docente em cursos de formação de professores da UNISO, ensinado Fundamentos de Metodologia. Há 32 anos trabalha no Colégio Uirapuru e se destaca por acompanhar a carreira de seus ex-alunos e resultados. É também defensora da bandeira de que o professor aprenda a ser um profissional com mais técnica e solidez dos conhecimentos.
        O “Herói” Freitas Júnior, homem de multihabilidades: pintava, tocava piano, decorava, escrevia em jornal, produzia filmes, era empresário e comunicador. Formou-se em Direito e através de um trabalho sobre o México foi convidado pelo governo mexicano para conhecer o país. Foi locutor, redator de programas, diretor artístico, fez programas de auditório e radionovelas.
        Adriana apresenta também os “Heróis” o jornalista Vitor Cioffi de Luca e sua esposa Thereza Grosso de Luca, fundadores do jornal Diário de Sorocaba que em 30 anos de existência promoveu muitas campanhas vitoriosas com o apoio de seus leitores,  conseguindo cadeiras de rodas, assistência médica emergencial, cestas básicas e antes de morrerem, ironicamente em trágico acidente de carro no Paraná, haviam feito a grande campanha de duplicação da rodovia Raposo Tavares.
        Já o “Herói” Heitor da Costa Nunes, auxiliou Vitor Cioffi de Luca na fundação do Jornal Diário de Sorocaba, chegando a ser diretor comercial do jornal e mesmo após sua aposentadoria, continuou trabalhando até sua morte em 2001. Tinha incrível talento para as vendas e uma motivação incrível para o trabalho. Tinha o mesmo entusiasmo tanto na venda de um pequeno, quanto de um grande anúncio.
        O “Herói” Toquinho Fonseca, como era conhecido o senhor Antônio Antunes Fonseca, em 57 foi diretor social do Esporte Clube São Bento e somente aos 60, após se aposentar passou a se dedicar aos esportes. Começou com corridas de 100 e 200 metros, salto de altura, triplo e com vara. Participou de campeonatos importantes como a São Silvestre, o Sul americano, o Pan e de mundiais, chegando a ganhar importantes títulos e medalhas já aos 90 anos.
        O Padre Aldo Vannuch é também homenageado nesta obra. Foi preso por defender os direitos dos operários de Sorocaba. Em 65, assumiu o cargo de Diretor da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Sorocaba e decidiu ainda ser vigário. Taxado de comunista pela ditadura, em 68 deixou a direção da instituição de ensino para que esta recuperasse o subsídio que recebia do governo e prosseguiu seus estudos na Europa. Em 74 pediu licença ao Vaticano e se casou voltando para Sorocaba. Trabalhou como professor na faculdade de Sorocaba e entre 80 e 88 seguiu seus mandatos de diretor da instituição. Com muito trabalho conseguiu elevar a Faculdade de Sorocaba ao status de Universidade, a UNISO, sendo nomeado primeiro reitor e exercendo esta função até hoje.
        A “Heroína” Janice Vieira foi um marco da dança moderna em Sorocaba. No Conservatório João Batista Julião estudou balé e música. Em 63 montou o Estúdio de Dança Janice Vieira em Sorocaba, onde grandes professores de dança como Mônica Minelli, Ismênia Rogick se formaram. Desenvolveu a dança teatro estudou muito dança moderna com Maria Dushenes em São Paulo, apresentou seus trabalhos na TV Tupi, criou o grupo Dança Expressiva Folclórica, aprimorou seus conhecimentos nos EUA, criou coreografias expressivas, foi docente em diversas universidades além de ter recebido diversos prêmios.
        José Rubens Bismara é diretor presidente da Rádio Cacique. Descobriu no alto-falante um poderoso meio de comunicação e se mobilizou contra a proibição do recurso, que visava proteger o desenvolvimento das rádios. Em 51 conseguiu autorização para iniciar sua rádio, a Cacique AM. Em 82 inaugurava a Cacique II FM que também opera em outras localidades do Brasil.
        O “Herói” Paulo Betti, que dispensa maiores apresentações, é o ator que honra a todos os sorocabanos pelas brilhantes realizações no teatro, tv e cinema.
        E o último “Herói” retratado por Adriana é José Desidério da Silva, é radialista e apresentador de televisão. Iniciou sua carreira batendo de porta em porta nas rádios de Sorocaba e conseguiu uma oportunidade como radialista esportivo na Vanguarda. Em 66 foi convidado a trabalhar na Rádio Cacique, passou pela Rádio Clube, Rádio e TV Gazeta, Rádio Cultura de Campinas, CBN Campinas, voltou apara a Rádio Clube em Sorocaba, como diretor de jornalismo e onde trabalha até hoje.
        Estes são apenas alguns fatos da vida e feitos desses 13 heróis, ricamente descritos por Adriana em sua obra, apenas para despertar em você leitor a curiosidade em conhecer mais sobre esses brilhantes sorocabanos que não simplesmente “levaram” suas vidas, mas fizeram de cada momento de suas histórias grandes acontecimentos. São verdadeiros exemplos a serem seguidos, cada qual com seu talento. Vale a pena conhecer mais sobre a “Galeria dos Nosso Heróis”. (Douglas Lara)
Douglas Lara
Enviado por Douglas Lara em 16/09/2007
Código do texto: T654765
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Douglas Lara
Sorocaba - São Paulo - Brasil, 79 anos
517 textos (133286 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/08/17 03:45)