CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Gramática ensino plural

TRAVAGLIA, L.C. Gramática ensino plural. São Paulo: Cortez, 2003, cap. 2 e 3, pág. 21-55.
Palavras-chave: Ensino de Gramática; Educação Lingüística; Ensino de Língua Materna.

As concepções relacionadas à Educação Lingüística, Ensino de Gramática e de Língua Materna nos remete a questionar as próprias características da capacidade comunicativa do homem no transcorrer de seu desenvolvimento com determinados grupos que se propunha à criação de códigos específicos para o estabelecimento de entendimento entre si, em especial o mais complexo entre eles a língua. É isto que Travaglia esclarece nestes dois capítulos de seu livro quando faz análise da atividade de educação lingüística, do estudo e o do ensino de gramática/texto e da Língua Materna.
Neste segundo capítulo, o autor deixa claro à importância da educação lingüística para que se haja a interconexão de relações socioculturais vinculadas pela língua. Dessa forma, percebe-se que a comunicação é crucial para realização dos efeitos de sentido textual entre o locutor e o interlocutor, pois isso exige uma assimilação dos recursos da língua, seus tipos e suas diferenças significativas. Naturalmente, essa prática deve ser comum em meio familiar para que o falante possa ter acesso a uma formação lingüística, uma vez que é imposta apenas na escola uma variação privilegiada: a norma culta. Partindo dessa dificuldade de socialização com as demais variantes da língua, nota-se o indispensável papel que as instituições sociais, inclusive a Universidade devem exercer para que os educadores tenham uma visão especificada da constituição e funcionamento da língua.
Ao verificar tal processo lingüístico, Travaglia concebe que:

A educação lingüística é necessária, importante e fundamental para as pessoas viverem bem em uma sociedade e na cultura que se veicula por uma língua e configura essa língua por meio de um trabalho sócio-histórico-ideológico que  estabelece tanto recursos da língua como regularidades a serem usadas para comunicar quanto os significados/sentidos que cada recurso é capaz de por em jogo em uma interação comunicativa. (2003:23).

No terceiro capítulo deste livro, discute-se com ênfase as questões essenciais sobre o ensino de língua materna, questionando a postura que muitos professores assumem ao estruturar suas atividades em sala  de  aula, seus objetivos e metas, a forma de desencadear discussões sobre as variedades lingüísticas, a relação de gramática com a compreensão/ produção de textos e até o ensino de vocabulário, enfim, as concepções de linguagem, de texto e gramática na prática constitutiva de ensino/aprendizagem na escola.
Na visão lingüístico-textual, compreende-se que a interação comunicativa é estabelecida entre o emissor e o receptor produzindo uma seqüência de sentido devido aos recursos, mecanismos, fatores e princípios internos e externos à língua. Esta obedece, portanto, a um arranjo estrutural regularizado e coerente que se denomina de gramática da língua. Tais recursos no plano (fonológico, morfológico, sintático, semântico, pragmático) e os níveis (lexical, frasal, textual-discursivo) e em termos de unidades e estruturas são fundamentais para que se produza o texto lingüístico usado em dada situação de interação.
Travaglia indaga a importância do ensino de Português:

O ensino de língua materna se justifica prioritariamente pelo objetivo de desenvolver a competência comunicativa dos usuários da língua (falante, escritor/ouvinte, leitor), isto é, a capacidade do usuário de empregar adequadamente a língua nas diversas situações de comunicação. Portanto, este desenvolvimento deve ser entendido como progressiva capacidade de realizar a adequação do ato verbal as situações de comunicação. (2000:17).


Percebe-se que a teoria lingüística ou gramatical busca identificar os tipos de unidades e recursos disponíveis da língua, bem como classificá-la e estruturá-la. A gramaticalidade afeta, de certo, a produção de sentidos por meios de textos da língua que pertinentemente irá preparar o aluno para a vida e para a conquista de uma melhor qualidade de vida, posto que será um usuário competente linguisticamente, que fará uso adequado dos diversos recursos lingüísticos em consonância sociocultural, flexibilizando as atitudes de efetiva comunicação.
Conclui-se, pois, que a obra de Travaglia, em especial, os dois capítulos aqui analisados é, sem dúvida, um norte coerente e fundamentante para o entendimento da atividade e da capacidade comunicativa, inclusive pelos educadores em sala de aula, para que se perceba ainda que a educação lingüística voltada para o ensino efetivo da língua materna na inteireza de suas variáveis lingüísticas é a chave para o crescimento sociocultural e para uma qualidade de vida mais consistente e construída em conhecimento e sucesso tanto para nós acadêmicos como para os demais que se interessam pelo estudo da língua e, sobretudo para todos os falantes.

REFERÊNCIAS
TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e Interação: uma proposta para o ensino de gramática no 1° e 2° graus. 5° Ed. São Paulo: Cortez, 2000.
Geimes Oliveira
Enviado por Geimes Oliveira em 19/10/2007
Reeditado em 19/10/2007
Código do texto: T701053

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Geimes Oliveira
Morada Nova - Ceará - Brasil, 27 anos
89 textos (420432 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/14 15:29)