Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Inocência

Finje que me vê, mas nada está á ver
por onde andou seu espirito de impureza?
pouco ou nada posso fazer
perante toda a sua tristeza.

Seu raciocínio lògico, tua calma e sobriedade
sempre me deixaram abalado.
O que mais sinto é saudade.
Não! não me conformarei com seu estado.

Sua essência se perdeu
teus raciocínios foram excomungados.
além de você, quem sofre sou eu.
Problemas não são poucos; estão por todos os lados.

-Chega!- Não viverás mais assim!

Nada é tão simples e, nada é tão fácil
ninguém é tão puro e, ninguém é tão confiável
a mente do inimigo é ábil
e a miragem é alucinável.

Cada centímetro está a ganhar
cada coisa à lhe falar
cada problema à gerar
e cada perna à lhe passar.

Vai ganhar ou vai perder?
Irá na inocência ou vencerá pela demência??
(Paulo Bossi)
PAB
Enviado por PAB em 22/09/2006
Código do texto: T246655

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
PAB
São Paulo - São Paulo - Brasil
52 textos (2979 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 02:42)
PAB