Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PADRINHO

entra Apolo no Parnaso, e não vê Ali nenhuma Musa;
"ué?? cadê as minhas Musas? onde estão todas Elas?"
a sua Auréola se inflama sobre os Louros que ELE usa,
os que estão em volta resolvem pôr sebo-nas-canelas;

e, num piscar d'olhos, o Parnaso depressa se esvazia,
é um tal corre-corre, até o Pégaso, lá pro Olimpo, voa;
Apolo, então, desfranze o sobrolho, usa a Voz macia:
"ó gente assustada! calma aí, eu perguntei numa boa!"

mas, nessas alturas, o último corredor tá no horizonte,
sequer o Elísio por ali anda, foi soprar noutra freguesia;
eis então que numa rocha um vulto se mostra: Caronte,
o que leva Apolo a deduzir o porquê de toda a correria;

o Barqueiro alcança-Lhe Convite Plutônico, com carinho,
Seu tio Hades casa-se, quer qu'ELE seja Seu Padrinho.

Moacir et Selena 2005
brilhe a vossa LUZ!


e o rei de Babilônia constituiu rei
em lugar de Joaquim a Matanias,
seu tio paterno (II Reis 24:17)
Moacir et Selena
Enviado por Moacir et Selena em 11/02/2006
Reeditado em 11/02/2006
Código do texto: T110454

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome dos autores e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Moacir et Selena
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 74 anos
736 textos (71189 leituras)
8 áudios (1059 audições)
5 e-livros (2339 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 18:41)
Moacir et Selena

Site do Escritor