Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Um soneto ao ocaso (Menção a "Impressões Visuais" de Rosa Pena)

Fim de tarde: Cadeiras na calçada...
Vodca, limão, gelo e poesia!
O mar espuma verso e maresia
num beijo de marola enamorada.
 
E eu, batata frita bem salgada
a desmanchar-me no seu paladar,
ouço uma brisa fresca assobiar
como se fosse lira recitada.

O soL, que já batia em retirada,
volta matreiro, dá uma espiada
como quem pede uma saideira;

flerta c'oa lua antes que anoiteça
doura um soneto pra que eu não esqueça
este momento pela vida inteira.


Herculano Alencar
Enviado por Herculano Alencar em 13/02/2006
Reeditado em 13/02/2006
Código do texto: T111477
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Herculano Alencar
São Paulo - São Paulo - Brasil, 62 anos
1345 textos (59070 leituras)
5 áudios (270 audições)
13 e-livros (3268 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/01/17 06:21)
Herculano Alencar

Site do Escritor