Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto da Podridão

É puta que pariu, caralho e porra!
Não dá mais pra calar o que eu sinto,
Digo verdades, dizem que eu minto,
Digo mentiras, querem que eu morra.

É tanta podridão neste meu mundo,
Que o lixo que há no saco é mais limpo,
Nem Zeus, sendo empregado deste Olimpo,
Poderia limpar de tão imundo.

E se acha que sou muito depressivo,
E pensa que escondo algo importante,
E pra tristeza estou muito propenso,

É porque você é muito passivo,
Talvez sua atenção não foi bastante,
Talvez você não pense o que eu penso.
Lupo
Enviado por Lupo em 12/04/2006
Código do texto: T137684
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lupo
Ilha Comprida - São Paulo - Brasil, 41 anos
44 textos (1391 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 16:43)
Lupo