Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SONETO(001)

Bela mulher, quando, enfim, tu passas
Perfumada, graciosa, linda e normal,
Pareces tão nobre e, sem querer, balanças
O coração cansado deste simples mortal.

Sem saber e nem querer lhe magoar,
Muitas vezes, segui tuas pegadas,
Imaginando-te ali na orla do mar,
Comigo e a sós, na areia deitada.

Tudo o que hoje lhe diz respeito
Muito me atrai, como a um tesouro.
O teu andar jovial, quase perfeito...

Mas carece meu ser da sua voz de ouro...
Como tu me fascinas! Ó gentil menina!
Como és graciosa! Deusa bela e Feminina.

Olinda- PE, 26 de julho de 2005.
MAZZAROLO ANGHINONI
Enviado por MAZZAROLO ANGHINONI em 27/04/2006
Reeditado em 28/05/2009
Código do texto: T146354
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
MAZZAROLO ANGHINONI
Nova Roma do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil
138 textos (37660 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 03:03)
MAZZAROLO ANGHINONI

Site do Escritor