Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PAZ AO HOMEM DE BOA VONTADE



Ao homem de boa vontade ergo o meu pendão,
Ajusto a rima para que ela possa ser vivenciada,
Todos nós temos mais do que um só coração,
Não deixemos que ela fique só e desamparada.

Cabe-nos a nós acolhe-la simples em nossos braços,
Pintar o quadro mais perfeito que se é capaz,
Com gente abraçando leves subtis traços,
Como num rosto jovem e alegre de um rapaz.

Quero a paz agora, aqui de graça, cuspindo fora
O desagrado, o aborrecimento inquietante e atroz,
De tudo o que não pede licença e vai por ai afora.

Quero que o meu grito não seja em vão, surdo,
Aos ouvidos do homem que caminha pela foz,
Do que é de bem querer e não se queda mudo.

Jorge Humberto
02/06/06





Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 02/06/2006
Código do texto: T168057
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 50 anos
2622 textos (66670 leituras)
22 áudios (937 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:35)
Jorge Humberto