Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O BEDUÍNO

O sol, com os seus raios chicoteia
O deserto de terra comburida,
E o sedento beduíno, sobre a areia,
Implora aos Céus um pouco mais de vida.

Dá um passo, cai, levanta, cambaleia.
Cai novamente. Contra a sede lida.
Implora. Alá não ouve! A morte é feia!
A alma fraqueja, triste e enlouquecida.

Arrastando-se pela areia quente,
Tomado de loucura — atroz voragem! —
Vê o oásis salvador em sua frente.

Ah! que água cristalina! Doce aragem!...
E morre... com essa água em sua mente,
Ante a extrema loucura da miragem!
Lucan
Enviado por Lucan em 29/06/2006
Código do texto: T184483
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Lucan
Salesópolis - São Paulo - Brasil, 85 anos
1985 textos (86950 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 09:57)
Lucan