Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SONETO


Um vulto de mulher sempre aparece,
Quando os sonhos se tornam pesadelo;
A sorrir levemente, avulta e cresce
E, sem detalhes, o sinto e ainda posso vê-lo!

No jeito de me olhar, emanações de prece
E há cheiro de pecado, em seu cabelo;
Tem as cores do dia que amanhece
E a simetria dos cristais de gelo...

Esta visão que bate à minha porta,
Sem me dizer o que deseja e quer,
Faz reviver uma esperança morta...

Ilusão, fantasia ou realidade,
Existe sempre um vulto de mulher,
Em cada coração onde há saudade!
Marcos Coutinho Loures
Enviado por Marcos Coutinho Loures em 27/07/2006
Código do texto: T203459
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcos Coutinho Loures
Muriaé - Minas Gerais - Brasil, 80 anos
29 textos (3212 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 11:05)