Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UNHA ENCRAVADA

Sem saber o que fazia
Descarnei-a lentamente,
Pensando que não doía
Cortei-a toda rente.

Aquilo começou a inchar!
Sentia ali um coração,
Estava sempre a latejar
Oh que dores!... Ai não!

Sem saber o que fazer
Lá vou eu de pé-coxinho
P’ra vizinha me valer...

Sou bruxa ou adivinho!
E ela com muito jeitinho
Arrancou-a sem me doer.


Maria Custódia Pereira
Biazocas
Enviado por Biazocas em 27/07/2006
Reeditado em 10/12/2011
Código do texto: T203499
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Biazocas
Portugal, 65 anos
426 textos (15867 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 05:08)
Biazocas