Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rios d'alma

 

Sempre dos olhos as lágrimas perdidas,
Na inocente alma de luz postulada,
Que ao rosto desce como rios da madrugada,
E o sonho dos poetas; são mares de feridas.

Não que o amor sempre seja malfeitor,
Nem que seu dono do poeta tenha dores,
As veias da paixão dos amantes sem amores,
No silêncio descansa em lágrima tua dor.

Já que os rios do sofrimento não tem alma,
Por que chorar de amor em peito são?
Se amar é viver do contemplar o inexplicável,

Morre o amor! E o poeta que espalha solidão,
Não sei se o ardor do coração sombrio acalma,
A vida do amante... num conto inadiável.
Silva Neto
Enviado por Silva Neto em 31/07/2006
Código do texto: T205951
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Silva Neto
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 43 anos
117 textos (33487 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 00:28)
Silva Neto