Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto da Paixão

Olhar de pêndulo renitente
Sede ademonista do ego
Cabo de força, primeiro tenente
Mofrata enferrujada crava prego.

Sacis desfilam perfume
Dos mais irrisórios valores
Batendo borboletas, tambores
Instar de ápice, coisa do lume.

Despejados verbetes, avio certo
Espadaúdo botruco ácido
Mentiraria de retiro aberto
Pousa no corpo, sol tácito.

Carretel ao limite da corda
Emagra assaz o que o amor engorda.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 11/08/2006
Reeditado em 08/09/2006
Código do texto: T214135

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
730 textos (34095 leituras)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/16 07:58)
Cesar Poletto

Site do Escritor