Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto da noiva do meu amigo

Você quer anelá-lo pra anulá-lo,
Ah! Mas eu a peguei em flagra mulher.
Desmesurado o afã seu a sujeitá-lo,
Tal o meu de impedi-la se puder.

Tão tolo ele, logrou apaixoná-lo,
Gato e sapato, faz dele o que quer.
Mas inegável é que homem qualquer
Quereria perder-se no seu embalo.

Menina feiticeira, xerazade,
Seduziu-me também seu amor carnal!
Sucumbi à pele sua de animal.

Estou a amá-la, você quem foi o inimigo...
Mas e agora, o que vai ser da amizade
Quando contar-lhe isto a nosso amigo?
Cirilo
Enviado por Cirilo em 29/08/2006
Reeditado em 28/10/2015
Código do texto: T228386
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cirilo
Caxias do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil
136 textos (7396 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:57)
Cirilo