Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto de amor como plenitude

O amor basta, não basta?
Para tirar-me o tino que me resta
Para conduzir-me a uma oitava cor
Para fazer-me entrar na vida por essa fresta!

O amor basta, não basta?
Para despetalar-me em algibeiras
E não fazer sentido o que escrevo
Para querer o amor ainda que o não me queiras!

O amor me basta na vida e tanto
Que por cantar do amor o canto
Já julgo que não me basta!

E de na vida ver a vida que de mim me afasta
Me conduz pela mão e ao amor me entrega
Esse amor que nem conheço e que já assim me leva!


dhália
Enviado por dhália em 25/09/2006
Código do texto: T249386
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
dhália
Salvador - Bahia - Brasil
238 textos (5113 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 15:01)
dhália