Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto do corno - III

Apesar dos pesares, dos penares,
Continuarei firme ao lado dela,
E não hei de me abalar pelos rumores
Que maliciosos dizem-na cadela.

Se devo dividir os seus amores
Não posso reclamar, ela é tão bela!
Ah, todo dia hei de comprar-lhe flores
E beijar-lhe os pés, e ser só dela.

Não me importa se me olham de viés
Ou gritam-me ao passar: 'Cadê a mulher?!'
Se ela for partir, peço-lhe que fique

E ainda que o seguinte nada explique
Vou confessar – não me supõe transtorno
Dizer alto e orgulhoso: 'Sim, sou corno!'
Cirilo
Enviado por Cirilo em 05/11/2006
Código do texto: T283201
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cirilo
Caxias do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil
136 textos (7395 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 14:05)
Cirilo