Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TRÊS SONETOS


(Estes três sonetos vêm de 1963). Os homenageados
Agente Fiscal do Imposto de Consumo, aposentados,
compareciam à antiga repartição de trabalho para uma visitinha aos ex-companheiros. Ao final do expediente eu os punha em meu carro e ia deixar em casa. Que saudade, João, que saudade!

I - ROSA SEM ESPINHOS
    Ao colega aposentado Maximiniano Ramos de Queiroz

De primavera sobre primavera...
- Queiroz, meu velho amigo, eu não sabia,
Que a sua idade a tanto assim já ia,
Que você vem de tão longínqua era.

O tempo anda e quando não se espera...
Um dia na esperança de outro dia...
- Quem nos diria, amigo, quem diria?
Já somos velhos e de idade austera!

- Que gosto eu sinto, de saber que esperto
Ele vai indo - e há de bem ir por certo,
A porção de janeiros, meu amigo.

Que gosto, de render-lhe esta homenagem,
À rosa sem espinhos, velho pajem,
- Fazendário do rei em tempo antigo!

II - MOÇO EM FLOR

Bendito seja o que sorri na idade
Sem ódio, sem temor, sem preconceitos.
Bendito o que não chora a mocidade,
Mas canta na velhice os velhos feitos.

Um desses de quem privo da amizade,
Envelheceu cantando em sons perfeitos;
Diz que é feliz e que a felicidade
É a luz do amor, a paz dos satisfeitos.

Tem sobre os ombros, no correr dos anos,
Oitenta e seis janeiros de sorriso,
Durante os quais, não conta os desenganos.

O bem que há feito, conta, conta o amor,
Conta a alegria, conta o paraíso
De quem sendo provecto - é moço em flor!

 
III - PROVECTO E MOÇO
Ao colega aposentado Durval de Jesus

Oitenta anos feitos, este moço
Fino e elegante! A alegre e suave fala
Atrai ouvintes, contagia, embala,
No entusiasmo da expressão colosso.

Rijo e aprumado, altivo ergue o pescoço
Na casa de trabalho, sala em sala,
No bate-papo amigo atende à escala.
Tem óleo de baleia no reboço!

Vistoso no engomado terno branco,
Provecto e moço, riso sério e franco,
- Cultura e inteligência em plena luz.

Suponho sua vida um mel de abelha
Em paz e amor, em todo bem que espelha.
Honrando o nome - eis o Durval Jesus!
João Justiniano
Enviado por João Justiniano em 17/11/2006
Código do texto: T294276

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ex: cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
João Justiniano
Salvador - Bahia - Brasil, 96 anos
619 textos (19610 leituras)
13 e-livros (1027 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 03:49)
João Justiniano