Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESPERANÇA

O silêncio soará como um grito de raiva
arrancado à prisão que te tolhe os sentidos
numa muda explosão dos momentos vividos
que te agridem... flagelam como uma saraiva.

Como o mestre da barca que colhe uma draiva
não desistas de ti. Pelos tempos sofridos
em que não te perdi mas ficámos perdidos...
pela chuva fechados... presos numa gaiva.

E se bradas ao vento a doçura do amor,
teu olhar mostrará a amplitude da dor
que te rasga as entranhas em moldes de fel,

o teu corpo moldando de forma sofrida,
mas com laivos de esp'rança raiados de vida
em teu corpo embutidos qual favos de mel.

Sintra, 20/11/2006
António CastelBranco
Enviado por António CastelBranco em 25/11/2006
Código do texto: T300760
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
António CastelBranco
Portugal, 56 anos
57 textos (1698 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 18:09)
António CastelBranco