Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

HOMENAGEM A MÁRIO QUINTANA

Escrevo diante da janela aberta.
Minha caneta é cor das venezianas:
Verde!... E que leves, lindas filigranas
Desenha o sol na página deserta!

                            (Mário Quintana)
 

HOMENAGEM A MÁRIO QUINTANA
(Mario Roberto Guimarães)


Enquanto escreves um raro soneto,
Frente à janela de onde aprecias,
Do majestoso sol, raios que alias
A cada estrofe, quarteto ou terceto,

Vês que eles brincam nas linhas vazias,
Traçando as formas de um cáos completo,
De forma tal, que te quedas, inquieto,
Sem mais saber sobre o que escrevias...

E essas luzes que assumem formas tantas,
Mostram que, mais do que observador,
Da própria paisagem fazes parte...

Então, deixas de lado a tua arte,
Para reconhecer o esplendor
D'arte maior com que, feliz, te encantas.


Obrigado aos amigos que me honram com suas interações.

Quintana Mario
Vivei por escolha solitário
Em paqueno apartamento
Driblou a solidão

Tristeza nem em pensamento
Pela janela encheu de luz o coração
Fez da poesia entretenimento

Doce melodia bela canção

Levou na alma a poesia sua oração!
(Marllene Borges Braga)


Abro a janela e vislumbro o mundo
Dentro do qual sou apenas um pontinho
Como queria percorrê-lo num segundo
Com as asas de um passarinho!
(Euripedes Barbosa Ribeiro)


Das falsas posições
Com a pele do leão,vestiu-se o burro um dia.
Porém, no seu encalço, a cada instante e hora,
"Olha o burro! Fiau! Fiau!" gritava a bicharada...
Tinha o parvo esquecido as orelhas de fora! (Mario Quintana)
Giovania Rocha (Gio Amor)
Mario Roberto Guimarães
Enviado por Mario Roberto Guimarães em 02/06/2011
Reeditado em 04/06/2011
Código do texto: T3009060
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mario Roberto Guimarães
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 62 anos
1946 textos (224468 leituras)
2 áudios (603 audições)
1 e-livros (639 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/10/14 12:08)
Mario Roberto Guimarães



Rádio Poética