Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto V

Ardia como se fosse brasa
Mas era sonho aparentemente
Voei como com supremas asas
Pairando ao céu permanentemente

Sabia que o perigo estava à espreita
Como um tonel de suco de uvas na eira
Quieto, imperceptível, sereno, constante
Que de repente uma súbita adiante

Como num grito, numa dura expressão
Saltitando núbil achei que estivesse
Deixou insatisfeita minha própria decisão

Mas deitado na relva como se renascesse
Fiquei quieto a qualquer mera demonstração
De carinho, de amor, que ela me fizesse
Paulo Poeta
Enviado por Paulo Poeta em 25/11/2006
Código do texto: T300993
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Poeta
Goiana - Pernambuco - Brasil, 38 anos
73 textos (2818 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 03/12/16 09:40)
Paulo Poeta