Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto para a Morte

Deixa-a vir até mim este espectro sevo
Para que eu possa dizer a ela que padeço
De muita mágoa e tédio em descompasso
De obras vãs que em livro efêmero escrevo.

A dor que não cessa porque me atrevo
Na paixão dúbia e maldita enlouqueço
A margem do padecer vil num cansaço
De uma fúria infinda em palavras transcrevo.
 
Assim conto pra Morte em verso macróbio
Taciturno ator malvado que se descobre
Um pacto sinistro em oculto na terra fria.

E na sua afonia sepulcral no aeróbio
Num bramido silencioso se encobre
Na sua última vontade vil se escondia.

                           Herr DoKtor
HERR DOKTOR
Enviado por HERR DOKTOR em 28/11/2006
Reeditado em 26/09/2008
Código do texto: T303952

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
HERR DOKTOR
Camboriú - Santa Catarina - Brasil
664 textos (21374 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 10:22)
HERR DOKTOR