Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto Derradeiro


Era vermelho o sol que despedia
e pelo rádio ainda se ouvia restos do futebol,
o domingo passageiro se estendia até o rio
que refletia a luz em seu espelho.

Porto Alegre incandescia ao fim da tarde,
enquanto a noite se espalhava sobranceira
derramando sonhos e mais sonhos desejados.
Luar de feiticeira, estrelas a granel.

E decidido algum poeta permitia a sua musa
a ilusão de um sentimento verdadeiro,
um último desejo, um último suspiro.

E derradeiro o coração batia em descompasso
com o surdo que marcava o samba puro.
Última cerveja, solidão e desventura.
Marco Araujo
Enviado por Marco Araujo em 01/12/2006
Código do texto: T306592
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marco Araujo
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 57 anos
77 textos (2405 leituras)
12 áudios (749 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 07:39)
Marco Araujo