Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CHAMA AZUL

Olhar a vida com os olhos d'alma
É graça sem igual que se almeja
E, ainda que muito se não veja,
Ante a realidade que se espalma,


É feliz o coração que deseja,
Do amor mais puro, alcançar a palma,
Como vestisse, da paixão, a talma
E obtivesse, quando mais não seja,


Nele, clarividência incrustada,
A perceber que n'alma, bem no fundo,
Vive uma chama azul que não se apaga


E, dela, tanta beleza nos afaga,
Para apartar, de nós, males do mundo
E dar-nos a ventura tão sonhada.


Obrigado, Helena, pela sempre bem-vinda interação.

FEITIÇO

Olhando os teus olhos vejo a chama
azul que se irradia e que me banha
de luz, de alegria, de esplendor.

Parece que posso chamar de amor,
porque adentra em mim, me acompanha,
me abraça e se deita em minha cama.

Não há como fugir desse feitiço.

Mas juro, te asseguro, eu quero isso.
(HLuna)


Obrigado, Adria, pela honra da interação.

CHAMA AZUL

Vou revivendo em sonhos vivos,
Aclarados pelos lindos castiçais...
Nossas almas livres e imortais,
Nós dois... seres unidos e cativos...

E apesar dos espinhos e das flores,
Do tempo veloz, incerto e impiedoso...
Tentando abalar de um jeito tenebroso,
Com lágrimas e muitos dissabores...

Mas no Alvor de cada novo dia,
Ou sob a luz de estrelas tremulantes,
Nosso amor brilha, qual Chama Azul.

Nesta visão sublime, ele é só alegria,
Qual orquídeas puras, cintilantes...
Iluminados pelo Cruzeiro do Sul!
(Adria Comparini)


Obrigado, Ãngela, pela linda interação.


OLHOS DA ALMA

Olhar a vida com os olhos d'alma
É sonho por demais acalentado
Precisa encontrar na vida a calma
Precisa ter um sonho desejado...

Um sonho que em nossa mão espalma
E que acende a luz tão esperada
Capaz de alimentar, da paz que acalma,
A chama azul que brilha encantada...

E, peito aberto, profunda emoção
Acalentar de amor o coração
Despindo-se a razão, deixando-a nua...

Para sair às praças de mãos dadas
Distribuindo canções enluaradas
E espargindo estrelas pelas ruas...
(ÂNGELA FARIA DE PAULA LIMA)


Obrigado, Luzia, pela esplêndida interação.

LUZ.....

Vejo luz no seu olhar
Desejoso em deixar brilhar
Há pequenina chama
Atrás dos olhos a fulgurar... Vejo a luz alvoroçar
O lume emergido
Outrora expungido
Do olhar combalido... Vejo luz no olhar intenso
Adentrando a alma impaciente
Unindo n'uma só centelha
Olhares em cegueira...Vejo luz no olhar penetrante
Rola a lagrima celebrante
Libertando da obscuridade
Liberando a claridade...Vejo Luz no seu olhar.
(Luzia Ditzz)
Mario Roberto Guimarães
Enviado por Mario Roberto Guimarães em 17/12/2013
Reeditado em 20/12/2013
Código do texto: T4614987
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mario Roberto Guimarães
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 62 anos
1946 textos (224959 leituras)
2 áudios (606 audições)
1 e-livros (641 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/12/14 18:58)
Mario Roberto Guimarães



Rádio Poética