Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Arremedo poético


Há cores cintilando nas sombras também,
Uma fresta gelada que jamais se fecha.
Pessoas não há, só um soluço de amém,
Nesta fresta gelada que jamais se fecha...
 
Pelas paredes escorrem verbos malditos,
Sobre a toalha manchada sussurros sibilam;
Todos os testemunhos foram regiamente lidos.
Há pensamentos, e estes, os ventos mutilam.
 
Da fresta gelada um assovio de indignação:
Ousa a desesperança desafiar o enjeitado aleijão?
Qual o que, se levanta insano perante a consternação
 
Declaro meu o arremedo poético, parido em dores.
Há que muito lutar para provar dele infidelidade;
Posto que carrega cravado o lanho dos amores.
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 27/08/2007
Código do texto: T626369

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (56656 leituras)
25 áudios (3276 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 05:03)
Angélica Teresa Almstadter