Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O HOMEM DAS MIL CARAS




Olhar lânguido, passo comprometido,
Mãos vazias de si, ostentando rude
E sisuda silhueta, vai o homem tido
Como suporte, deste néscio talude.

O sol não lhe delineia a sombra fraca,
Passageiro de muitas estradas e pó,
Incólume devaneio, a si se maltrata,
Vagueando por este mundo sempre só.

Ah, mas se o amor viesse, sem ruído,
Acenando-lhe ao longe um sorriso,
Quem sabe ele não fosse tão contido.

E perdoando-se a si mesmo o alheio,
Todo o sofrimento então indeciso,
Teria agora onde levantar seu esteio.


Jorge Humberto
02/09/07
Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 03/09/2007
Código do texto: T636510
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 51 anos
2622 textos (67031 leituras)
22 áudios (940 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 07:46)
Jorge Humberto