Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PRISIONEIRO

És minha dona, sou teu menino,
Possua-me na hora que quiser.
Ser teu escravo é o meu destino,
Sou prisioneiro no teu corpo de mulher.

Quando me beija na boca eu enlouqueço
E me transporto ao paraíso dos devassos.
Tudo que faz comigo eu não esqueço:
Teu toque, teus sussurros, teus amassos...

Deixa-me sempre perdido, em desatino,
Para que me tenha na hora que quiser.
Sou teu servo, teu escravo, teu menino...

Se me deixar estarei em embaraços.
Por isso, ordena que eu obedeço
E não me perca dos teus braços.
Carlos Melgaço
Enviado por Carlos Melgaço em 06/09/2007
Código do texto: T641337

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Melgaço
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil, 59 anos
1148 textos (33650 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 04:14)
Carlos Melgaço