Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Bocage

Lá quando em mim perder a humanidade
Mais um daqueles que não me fazem falta,
Verbi-gratia- o teólogo, o peralta,
Algum duque, ou marquês, ou conde, ou frade;

Não Quero funeral comunidade,
Que engrole sub-venites em voz alta;
Pingados gatarrões, gente de malta,
Eu também vos dispenso a caridade;

Mas quando ferrugenta enxada idosa
Sepulcro me cavar em ermo outeiro,
Lavra-me este epitáfio mão piedosa:

´´Aqui dorme Bocage, o putanheiro;
Passou a vida folgada,e milagrosa;
Comeu,bebeu,fodeu sem ter dinheiro.´´


Bocage
Velvet Crotch
Enviado por Velvet Crotch em 11/09/2007
Código do texto: T648206
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Velvet Crotch
Casa Branca - São Paulo - Brasil, 27 anos
12 textos (957 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 04:53)
Velvet Crotch