Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

(concretista)

Ando ...a-le(r) ...sem Fim – Minha triste alcova:
Tragarei? Talvez! Fumarei? É certo!
Que se benza o pa(dr)e, e a mãe, e... Mas que aperto:
Ri-se o Tempo, enfim: “Quem diz: ‘Não te mova’?!”
 
E a fotografia (boa) queima à luz do olho:
– Um terceiro (em morte e vida) que escolho,
Após muito sábio ofegar: “Descansa”
 
                       (((   )))
 
Não mais fixo em ondas petrarquiano óleo:
Quebrado o alaúde, (quem) se renova (?)
Por que – S’inda hoje, pois, vo(o)u-me – A trova?
 
Mas e o Brado – Lança de quem avança,
E a tenda em Qu(i)entais, ó Bardo? Um deserto
Em torno, entre seios fartos – Mudança
Na dança das mortas horas – Tão perto!
 
a 23/02/06
Luciano Almeida
Enviado por Luciano Almeida em 17/09/2007
Código do texto: T656008

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luciano Almeida
Teresina - Piauí - Brasil, 37 anos
957 textos (39334 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/08/17 04:44)
Luciano Almeida