Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LIVRE ARBÍTRIO - soneto

LIVRE ARBÍTRIO
Lílian Maial


A dor da poesia é conhecida,
não há chaga no mundo tão cantada.
Poeta é talho e cura da ferida,
seu verso: uma poção envenenada.

Poema é peste, é praga contraída,
nas noites sem luar, de madrugada;
é a bênção que me torna absolvida,
palavra que me trai, desenganada.

Querer ou não querer não vem ao caso,
não tenho esse poder e nem queria
ser dona do destino dessa pena.

A rima é que me escreve, por acaso,
me elege na tristeza ou alegria,
liberta o coração ou me condena.

*********



Lílian Maial
Enviado por Lílian Maial em 01/11/2005
Reeditado em 01/06/2006
Código do texto: T66162

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor e o link para o site "www.lilianmaial.com"). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Lílian Maial
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
1158 textos (248768 leituras)
21 áudios (13707 audições)
3 e-livros (1280 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 07:46)
Lílian Maial

Site do Escritor