Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

APESAR DA DROGA




Muita coisa pude eu ver na minha vida,
Jovens morrendo, em meus braços,
Pais exaltados com a vida indevida,
Rostos pálidos cobrindo-lhes os traços.

Tal como eu vi juventude em coma,
Por dose excessiva, do pó maldito,
Por não abraçarem fieis o vil dogma,
Que tudo castra e logo torna restrito.

Mas apesar desta vida de “adultério”,
Consegui que o amor sobressaísse,
E assim mantivesse todo o seu critério.

Hoje, livre, enfim, sou apenas alguém,
Neste mundo apressado, onde recaísse
A obrigação, de ser este e de aquém.

Jorge Humberto
30/09/07




 


Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 01/10/2007
Código do texto: T675771
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 51 anos
2622 textos (67030 leituras)
22 áudios (940 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 21:42)
Jorge Humberto