Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A LOUCA DA MINHA ALDEIA





Numa aldeia, que podia ser a da minha terra,
Havia uma rapariga com o coração na boca,
Repugnava todo o mal e toda a guerra,
E por ser assim era conhecida como louca.

Os aldeões corriam atrás dela pela serra,
Tentando amedrontá-la e mantê-la mouca,
Puxavam-lhe os fartos cabelos, que não erra
A mão maldosa, que do mal se encontra.

Por tudo o que lhe perguntavam ela cedia,
Falava da sua vida e de seus senãos,
Até que veio o fatídico e desastrado dia,

Em que falando de suas coisas pôs em cheque
O seu bom nome, por defender seus nãos…
Aja aqui quem, por falar, também não peque.

Jorge Humberto
05/10/07







Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 06/10/2007
Código do texto: T682975
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 51 anos
2622 textos (67031 leituras)
22 áudios (940 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 12:53)
Jorge Humberto