Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BREVE NOTA A QUEM ME LÊ





Ao homem o que ao homem pertence,
Nem mais nem menos, que a justa medida.
Mas se ele nem a si próprio se vence,
Como dar-lhe minha mão aqui estendida?

Esconjuro toda a fé, que tanto traumatizou
O bom como o menos bom, em sua incongruência
Desmedida e infértil, que não tardou,
Em reclamar do justo, a sã e parca inocência.

Está tudo explicado pela ciência, ó senhores,
Ninguém ama o que não existe nem se vê…
Que me dizem a mim, os senhores doutores,

Que eu já não saiba? O homem é garante
De sapiência, quer o que lê e o que não lê,
Inda assim, insistem no verso, de turbante.

Jorge Humberto
12/10/07


Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 13/10/2007
Código do texto: T692736
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 51 anos
2622 textos (67114 leituras)
22 áudios (940 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 09:52)
Jorge Humberto