Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A CRIANÇA QUE HAVIA EM MIM…





Olhei-me no espelho da água e não me reconheci,
Criança sem afecto que cresceu depressa de mais.
Soletrei meu nome na pedra que mui cedo entrevi,
Como não entendi também não percebi meus ais.

Que buscava eu não sei ainda, menino de seus pais;
Virou a água chuva e a chuva eterno e justo jardim.
Quando procurei bem junto dos novíssimos madrigais
Alguém que me dissesse, porque estaria eu então ali.

Quando, num parque ali perto, pude ver as crianças,
Sorrindo a tudo e a todos, como só elas sabem fazer.
E, com a força que restava em mim, fui das esperanças

Buscar o sorriso, que há tanto, de mim se escapulia.
Só então me apercebi, se alguma coisa aqui quero ser,
Tenho de perceber que essa coisa se chama alegria.

Jorge Humberto
12/10/07





Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 14/10/2007
Código do texto: T694065
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 51 anos
2622 textos (67033 leituras)
22 áudios (940 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/08/17 22:32)
Jorge Humberto