Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Boi rebelde

Arria-te, ó mártir, ao pó desta terra,
Pois às costas levas faltas de teu povo.
És mais um escriba que a lei real encerra,
E tudo que querias era um caminho novo.

Tens na alma a brancura nítida de um cisne,
Qual bandeira agitada em pedidos de paz,
Percorrendo as outras retidas no tisne
Desse imenso curral altaneiro e voraz.

Deliras, bravejando agora em tom mais leve,
Mas nunca olvidado de tuas idéias,
Embora saibas ter contigo a vida breve.

Definhas no covil de ínfimas alcatéias,
Pagando um preço alto como alguém que deve,
Só porque não ficaste mudo nas platéias.

*Poema da época da ditadura militar - Década de 1980.
Maurício Apolinário
Enviado por Maurício Apolinário em 22/10/2007
Reeditado em 16/01/2008
Código do texto: T705009

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Maurício Apolinário
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 59 anos
239 textos (85297 leituras)
1 áudios (54 audições)
5 e-livros (2837 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 06:08)
Maurício Apolinário

Site do Escritor