Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


 
 
Enquanto os lábios do crepúsculo me lisonjeiam,
Toda usura da madrugada me entristece e comove.
Porque agora todos os meus caros anseios partiram,
Permitindo esse ultrajante litígio que me envolve.
 
O alvorecer parvo de todo sentido que me mantém.
Decaído na opulência torta de um simples martírio,
Que me atormenta neste olhar do qual sou refém.
Tudo o que me sustenta fazendo-me ser todo delírio.
 
Aonde o encanto oculta toda tua ardente formosura.
Estando minha alma, portanto inclusa na brevidade,
De ser o amor no aconchego de toda essa ternura.
 
Que me incita o verso reprimido por tanta emoção,
Por ser intensa paixão todo verbo que nos envolve,
Algo que então provoca essa dor gostosa no coração.
 
 
Gerson F Filho
Enviado por Gerson F Filho em 25/10/2007
Código do texto: T709352
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gerson F Filho
Guarapari - Espírito Santo - Brasil, 60 anos
352 textos (8704 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 04:22)
Gerson F Filho