Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DA BOCA NOSSA

Contando os passos de azevém
À lida, com as costas na mesa
Meio leso, meio estranho - vem
Toma a passagem, sem destreza.

À amargura que o fora invadido
Firmando os pés no belo coqueiro
Lágrimas de pó entre alto alarido
Sempre entediado, ente certeiro.

Mais margem a corromper o medo
Mais cinzas na boca morta e suja
Inverossímil fonte com luar azedo.

Sequidão, ossos e miolos sentindo
Os vãos – epopéia, todos meandros
Alimentando-se de razão, e saindo.
Cesar Poletto
Enviado por Cesar Poletto em 12/11/2007
Reeditado em 24/04/2008
Código do texto: T734677

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Cesar Poletto
Piracicaba - São Paulo - Brasil
732 textos (34318 leituras)
1 e-livros (249 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 19:55)
Cesar Poletto