Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU SER ABSTRACTO





Screvo escorreito o que me vai na alma
Nem sempre sei de mim nem quem sou
Minhas palavras relidas revelam calma,
Será que ela em sua brandura me achou?

Meus quadros abstractos sem simulação
Que nas paredes encontram seu espaço
Levam em si destroçado inútil um coração
Quando é de mim partindo o que não faço.

Há no entanto em cada verso meu minha
Estrutura como Homem, meu indestrutível
Ideal sincronizado tecendo uma larga linha.

E mesmo que perdido, sempre serei ciente,
Da dificuldade dos outros de vida perecível,
Mas que tal que como eu também são gente.

Jorge Humberto
18/11/07







Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 20/11/2007
Código do texto: T744838
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 51 anos
2622 textos (67123 leituras)
22 áudios (940 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/10/17 01:01)
Jorge Humberto