Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto de Mulher.

Lágrimas frias, por natureza.
Simplesmente, por ser mulher.
Ao contraste dos olhos e da beleza,
E o suspirar que provocas em quem lhe quer.

Lágrimas tão frias, que silenciam qualquer coração,
Com a virtude de não se ter virtude,
Não ter religião e não saber fazer oração
E onde não se deixa amenizar qualquer atitude.

Ah! Mulher - Pra que essa mágoa mordaz?
Onde está o teu sentimento mais belo?
Desfaça do teu semblante este sorriso amarelo,

Ao bem do meu desejo tão voraz.
Lágrimas, que foram feitas para seduzir,
Mas ao teu mundo, jamais consigo ir...

Rio de Janeiro, 01 de Fevereiro de 2005.
Natomarkes
Enviado por Natomarkes em 24/11/2007
Código do texto: T750147
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (natomarkes). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Natomarkes
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 43 anos
117 textos (1677 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/17 06:10)
Natomarkes