Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MEU SER SOLITÁRIO





Não sou este nem o outro, algo de intermédio,
Desesperado então e procurando um remédio
Vasculho meu quarto na tentativa de conforto,
E quando me encontro vejo-me em novo porto.

Não sou de um lugar só, de uma única estação,
Sou um fiel seguidor, inflexível ao meu coração,
Por isso, ando de ponte em ponte, na aragem
Absorvida sub-repticiamente a cada passagem.

É o meu fado, o meu destino, andar sempre só,
Mas, creiam-me, quando vos digo, não tenho dó,
Pois é na procura constante que estão as riquezas.

E assim, de terra em terra, de mim sempre deixo,
O melhor que tenho para dar, e nunca me queixo,
Se comigo a sorte vã mais não deixa que tristezas.

Jorge Humberto
22/11/07


 


Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 25/11/2007
Código do texto: T752156
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 51 anos
2622 textos (67118 leituras)
22 áudios (940 audições)
13 e-livros (541 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 05:21)
Jorge Humberto