Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fabela da rosa e o espinho

Um dia uma flor, bela e formosa,
tentou  menosprezar o seu espinho:
—Que fazes tu aí no meu caminho!?
—Não vês que não perfumas como rosa!?

Caía a tarde, um tanto preguiçosa,
tangendo o perfume pro ocaso.
E a rosa continua o pouco caso,
tolhendo, o espinho, presunçosa.

Um velho beija-flor-bico-vermelho
olhou pra rosa e deu-lhe um conselho:
—Tu deves ao espinho gratidão...

—Verga teu talo, em tom de reverência...
—Não fosse essa discreta saliência
  e tu não passarias de um botão.

Herculano Alencar
Enviado por Herculano Alencar em 07/12/2007
Reeditado em 08/12/2007
Código do texto: T769141
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Herculano Alencar
São Paulo - São Paulo - Brasil, 63 anos
1436 textos (63069 leituras)
20 áudios (406 audições)
13 e-livros (3771 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 13:37)
Herculano Alencar

Site do Escritor