Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 

OS DEMAIS CÍRCULOS INFERNAIS DE DANTE

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Estudos Literários

 

“Chegaste alma culposa. Por mim irás a morada da dor. Por mim irás ao padecer eterno”.

 

CÍRCULO PRIMEIRO — LIMBO

• Aqui estão as almas de crianças que não pecaram, porém não podem ir para o céu porque morreram sem batismo. Estão também aqueles que viveram antes de Cristo e as figuras do paganismo, como Enéas, Heitor, Homero, Aristóteles, Sócrates, Platão e muitos outros. No limbo, lugar sombrio, não há sofrimento, nem gritos de lamentação, apenas suspiros, murmúrios e mágoa.

OS CÍRCULOS DA INCONTINÊNCIA (2 a 5)

• É a morada daqueles que pecaram não por determinação de fazer o mal, mas por não conseguir controlar seus impulsos, falhando assim na escolha do bem.

Círculo Segundo — O Círculo da Luxúria

• Na entrada deste círculo fica Minós (meio humano, meio touro) recepcionando os pecadores, julgando-os um por um. Ele ouve as confissões (sempre dirão a verdade, pois não terão mais o dom do intelecto) e profere a sentença, enrolando sobre si a própria cauda. O número de voltas que sua cauda dá, indica o quanto deverá descer o pecador nas profundezas do inferno. Uma grande multidão de pecadores que se inclinaram aos prazeres do sexo, à sensualidade, à voluptuosidade e a luxúria se amontoam diante de Minós. Cada pecador confessa, ouve sua sentença, e é atirado no abismo onde uma ventania incessante os arrasta.

• O abismo é um lugar escuro onde só se ouve o som das vozes melancólicas - emanando de um enorme redemoinho - que se assemelham ao som de uma grande tormenta. São almas sofredoras, sacudidas pelo vento que nunca cessa.

Círculo Terceiro — Círculo Da Gula

• Aqui estão aqueles que comeram em excesso e com avidez. Uma chuva - gélida e eterna, com neve e granizo - caí sobre as almas que jazem deitadas, confundindo-se com a lama podre que as encharcam. Cérbero (o cão do Inferno, fera cruel e perversa) late com suas três goelas para as almas submersas na lama. Ele tem uma barba negra e seis olhos vermelhos, ventre largo e garras aguçadas com as quais rasga os pecadores e tortura-os. Elas berram como cães e se contorcem na lama, tentando em vão se proteger das chicotadas da chuva.

Círculo Quarto — Círculo Da Avareza

• Neste círculo, os gastadores compulsivos e unhas-de-fome são organizados em dois grupos e, com os peitos nus, se enfrentam rolando pedras enormes em sentidos contrários até colidirem uns com os outros. Após o choque um grupo grita "por que poupas?". O outro grita "por que gastas?". Depois seguem em sentido contrário até se encontrarem novamente, do outro lado do círculo. E assim continuarão por toda a eternidade.

Círculo Quinto — Círculo Da Ira

• É um lugar escuro, banhado por um rio pantanoso chamado Estige (um dos rios do inferno). Os vencidos pela ira e os que não conseguiram controlar a raiva estão amontoados, nus, cobertos de lama do rio, e, com feições iradas, esmurram-se, batem cabeças, chutam-se e arrancam as peles uns dos outros com os dentes. No fundo do Estige estão os rancorosos (a ira contida e passiva, porém igualmente destrutiva) que, por nunca terem externado sua ira, não podem subir à superfície e ficam a suspirar no fundo do rio, formando as bolhas que pipocam sobre a lama fétida.

 

CÍRCULO NONO – LAGO CÓCITO

• Traidores de amigos, irmãos e da pátria habitam o último círculo. As almas estão submersas num lago gelado, com apenas o tronco e a cabeça de fora do gelo. O chão é tão duro e liso que parece vidro. Todos mantêm seus rostos voltados para baixo e batem os queixos de frio. ®Sérgio.

_______________________________________________

Fonte: Dante Alighieri, A Divina Comédia – in Inferno (canto I a XXVII).

Se você encontrar erros (inclusive de português), faça a gentileza de avisar-me.

Agradeço a leitura do texto e, antecipadamente, qualquer comentário.

Ricardo Sérgio
Enviado por Ricardo Sérgio em 26/01/2006
Reeditado em 09/03/2009
Código do texto: T104392

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre o autor
Ricardo Sérgio
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 69 anos
1281 textos (21145019 leituras)
7 e-livros (8543 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 00:14)
Ricardo Sérgio