Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

TROVA  E  TROVISMO



A trova é uma tradição iniciada por volta do século XI d.C. em Poença na França. É durante este período que as poesias passam a ser acompanhadas de músicas, o que perdurou por muito tempo, havendo inclusive remanescentes desta tradição em nossa famosa Literatura de Cordel, muito conhecida no Nordeste brasileiro.
Os repentistas realizam seus trabalhos por meio de trovas, nem sempre com versos heptassílabos, mas geralmente é esta a medida presente em seus repentes.
Embora a Literatura de Cordel e os repentes apresentem características de trovas, os trovadores hoje constituem um grupo específico de poetas, em cujo dia 18 de julho comemora-se o
"Dia do Poeta Trovador". 


Trova


A trova tradicional é uma composição poética de quatro versos de sete sílabas poéticas cada, em que o 1º verso rima com o e o 2º verso 
rima com o 4º.


Quando você foi embora
pensei que eu fosse morrer!
Aprendi em boa hora:
nem todo amor faz viver! (Kathleen Lessa)


 
Encontram-se em trovas mais antigas rimas:
_do 1° verso com o 4° e do 2º verso com o 3º
_do 1º verso com o 2º e do 3º  verso com o 4º. 

Há ainda trovas em que se faz rima apenas do 1º verso com o 3º, mas isso não é bem visto e nem sempre aceito em concursos.

A trova, para ser bem feita, tem de ter um ACHADO.
Achado é algo diferente, uma surpresa, uma conclusão no último verso.
Adelmar Tavares diz : "Nem sempre com quatro versos setissílabos, a gente consegue fazer a trova; faz quatro versos, somente".  
Ou seja: não é trova se não houver o achado.


Nota 1- Comece a trova sempre com letra maiúscula. A partir do segundo verso use letra minúscula, a menos que a pontuação indique o início de nova frase. Nesse caso, use a maiúscula novamente. Aprenda a trovar fazendo poesia de qualidade. 

Nota 2- "sílaba poética" é diferente de "sílaba gramatical".
As sílabas poéticas são contadas pelo SOM, pela emissão natural da voz.
Na contagem dos versos, o número de sílabas poéticas é contado somente até a última sílaba tónica. As restantes após a tônica são desprezadas.

Ex: Hora de acender as lâmpadas.

Aqui há 10 sílabas gramaticais:

 Ho/ra/ de/ a/cen/der/ as/ lâm/pa/das/

Mas há 7 sílabas poéticas:

 Ho/ra/ de_a/cen/der/ as/ lâm/padas

"lâm" é a última sílaba tônica do verso, e contamos somente até ela.

Ex: Veja o mar de Parati.

Aqui são 8 sílabas gramaticais mas 7 sílabas poéticas.

 Ve/ja_o/ mar/ de/ Pa/ra/ti/

"ti" é a última sílaba tônica do verso; contamos até ela. 

Ex: 
Eu/ vi/ mi/nha/ mãe /re/zan/do    _______7
Aos/ pés/ da / Vir/gem/ Ma/ri/a    _______7
E/ra_u/ma/ San/ta_es/cu/tan/do ______7
O /que_ou/tra /San/ta/ di/zi/a      _______7



Nota 3 - Elisão 

Quando uma palavra termina por vogal átona e a seguinte começa por vogal ou ditongo, conta-se uma sílaba só. 

Ex.: 

Ou/ vin/do_a /fa /la /do / ven/to.  7 sílabas poéticas

Que/ro_u/ma /ca/sa/ no/ cam/po.   7 sílabas poéticas



Nota 4 - Ditongos e Hiatos na Métrica.

Para atender à métrica, hiatos podem transformar-se em ditongos (Sinérese) e ditongos transformar-se em hiatos (Diérese).

Ex: Su-a-ve por Sua-ve  (3 sílabas viram 2)
Sau-da-de por Sa-u-da-de (3 sílabas viram 4) 



Eis alguns exemplos de Trovas:

Nesta casa tão singela,
onde mora um Trovador, 
é a mulher que manda nela
porém nos dois manda o amor.   (Clério José Borges)


Ficou pronta a criação
sem um defeito sequer, 
e atingiu a perfeição
quando Deus fez a mulher.    (Eva Reis) 


Cão de guarda, ameaçador,
a rosnar, furioso e cego
eis afinal, meu amor,
este ciúme que carrego...  (J.G. de Araújo Jorge)



Trovismo

Movimento cultural em torno da Trova no Brasil, surgido a partir de 1950. A palavra foi criada pelo poeta J. G. de Araújo Jorge.
O escritor Eno Teodoro Wanke publica em 1978 o livro "O Trovismo", onde conta a história do movimento de 1950 em diante.


Neotrovismo

É a renovação do movimento em torno da Trova no Brasil. Surge em 1980, com a criação por Clério José Borges do Clube dos Trovadores Capixabas. Foram realizados 15 Seminários Nacionais da Trova no Espírito Santo e o  Clério Borges já foi convidado e proferiu palestras no Brasil e no Uruguai. Em 1987 concedeu inclusive entrevista em Rede Nacional, no programa "Sem Censura" da TV Educativa do Rio de Janeiro.
A Trova é uma composição poética que deve obedecer as seguintes características:

1- Ser uma quadra. Ter quatro versos.
2- Cada verso deve ter sete sílabas poéticas, ser setessilábico.
As sílabas são contadas pelo som. ( sílabas poéticas)
3- Ter sentido completo e independente.

O tema desenvolvido deve "caber" dentro dos 4 únicos versos.
A Trova difere dos versos da Literatura de Cordel, onde em quadra ou sextilhas, o autor conta uma história que no final soma mais de cem versos . 


4- Ter rima. A rima poderá ser do primeiro verso com o terceiro e o segundo com o quarto, no esquema ABAB, ou ainda, somente do segundo com o quarto, no esquema ABCB. 

Segundo o escritor Jorge Amado: 

"Todo Trovador é poeta mas nem todo poeta é trovador. 
Nem todos poetas sabem metrificar, fazer o verso medido.
Poeta para ser Poeta precisa saber metrificação, saber contar o verso. "




Fontes de Pesquisa: 

www.geocities.com/clerioborges  (Poeta Trovador Clério José Borges) 
www.terradapoesia.cjb.net   (Projeto Cultural ABRAVILI )

http://www.geocities.com/congressobrasileirodetrovadores/origem.html  

KATHLEEN LESSA
Enviado por KATHLEEN LESSA em 03/04/2006
Reeditado em 27/03/2015
Código do texto: T133198
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://kathleenlessa.prosaeverso.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
KATHLEEN LESSA
São Paulo - São Paulo - Brasil
3682 textos (2130596 leituras)
14 áudios (7339 audições)
36 e-livros (47494 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 12:50)
KATHLEEN LESSA