Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Análise Literária da Obra: Robinson Crusoé de Daniel Defoe

Resumo:Robinson Crusoé

Primeira Parte: "Aventura no sangue"

I - Apelo irresistível-Relata quando ele nasceu e como sua família era em aspectos  econômicos,logo,pertenciam a burguesia da classe média.O futuro previsto dos seus pais para Robinson Crusoé era sem graça e monótono.Porém ele não queria isto,seus sonhos eram de viajar conhecendo  o mundo, vivendo emoções e aventuras.Mas sua mãe  e seu pai eram contra por terem perdido um de seus filhos na guerra e o outro sumido sem deixar rastro.A escolha era de Robinson, em sair daquele futuro proposto por seus pais ou fugir de Iorque.

II - Nasce um marinheiro-Aproveitando que estava na cidade de Hull  um amigo o convida para ir à Londres no navio do pai e sem avisar   para  os seus familiares foi e enfrentou uma grande tempestade que amedrontou -o, achando que seria uma ótima experiência como marinheiro.  Chegaria   na baía de Yarmouth, começa uma nova tempestade forte, que dias depois descobrem um buraco enorme no porão que fazia entrar água nele.Foram obrigados a deixá-lo num bote seguido até a costa de Winterton Ness e chegando em Yarmouth acolhidos pelas autoridades o pai de um amigo descobre que Robinson fugira de casa e o repreendeu que de nada adiantou.

III-Escravo dos Mouros-Robinson não tinha em mente voltar para Iorque,pois envergonharia-se à todos como motivo de chacotas.Viaja para Londres,torna-se amigo de um Capitão que viajava muito para Guiné nas costas da África e sendo convidado para viajar vai com 40 libras dadas por amigos que ele se correspondia e trocou-as por
mercadorias .Transformando ouro em pó ,seguindo os conselhos do Capitão acaba por tornar-se mercador e marinheiro.A perseguição nas Ilhas Canárias por um pirata que vivia em Sali no Marrocos.Robinson é capturado e usado como escravo do Capitão.

IV-Fuga para a liberdade-Sempre ia pescar  com um mouro chamado Xury que vigiava-o constantemente .Abre uma oportunidade para a fuga.Logo Robinson separava escondido mantimentos,armas entre outras coisas,escondidos na embarcação que utilizava para à pesca e ao passar pelo canal percebe que é o momento ideal  para render Xury e seguir rumo ao Oceano Atlântico esperando por barcos europeus que ali poderiam ir para Guiné,Brasil e Índias sendo sua única esperança.

V-Fazendeiro no Brasil-Depois de um mês contornando a Costa,avistou as ilhas de Cabo Verde e Xury avista um barco português que o Capitão não aceitou suas coisas como pagamento pela viagem ,mas sim como renda para que ele recomeçasse uma vida nova no Brasil.Lá comprou terras e cultivou cana e tabaco se tornando fazendeiro e um homem muito rico.

VI-Novamente tentado pela aventura-Vive quatro anos no Brasil e é tentado a viver outra aventura novamente,pois contava que poderia conseguir vários escravos negros bons nas costas da África e sem investir nada acaba indo.Porém só se interessa pela aventura e não pela riqueza.

Segunda Parte:"A descoberta de uma nova vida".

I - O Naufrágio-As dificuldades da tempestade os fizeram sair fora por completo da rota proposta.Estava numa situação de completa avaria, porque o navio de uma certa forma abalado ,devido a violência do mar, no dia da tempestade.Reparam que existe uma ilha próxima à vista e pegam o bote e seguem na direção certa, até que são surpreendidos por uma grande onda que engole sua embarcação e os tripulantes.Sendo que Robinson sobrevive e se deixa levar até a beira da praia.

II - Os"tesouros"do navio naufragado-Com o navio encalhado num banco  de  areia pôde lhe proporcionar uma vistoria  de perto ,onde entrando nele pode encontrar alimentos, bebidas, ferramentas, roupas, armas,munições,um cachorro e quatro gatos que por meio de uma jangada que fez com os destroços do bote do navio, trazidos pelas ondas até à praia e colocou os "tesouros"encontrados em caixas e pôs na jangada.E desembarca em um rio e faz reconhecimento do local onde fizera um abrigo com seus tesouros encontrados no mar.

III-A construção do "Castelo"-Em sua última ida ao navio retirara faca,tesoura pensando que mais tarde poderia ter algum valor.Muda o local de sua morada onde faz um barraco.as caçadas por alimentos evitando gastar os seus mantimentos ,logo se alimentava com carne de cabra.

IV-Perspectiva de vida-A triste solidão em que se encontra onde perguntava à Deus o porque daquilo tudo,mas logo depois se dando conta e agradecendo por estar vivo.E para não ficar fora do tempo, fez uma espécie de calendário.Começa a criar animais domésticos, a cabra que cuidava quando feriu-a.

V-A vida torna-se mais confortável-começa a escavar mais a rocha onde leva fizera prateleiras para colocar suas coisas,uma espécie de castelo.a percepção em relação ao mundo civilizado para que tantas coisas ,se uma pode ter tantas serventias como a calça em relação à cueca diante do calor.A criação de  uma espécie de pombos onde quando sentia fome,comia-os.

VI-Nasce o milho-O início da estação das chuvas.Ele encontra perto do seu muro pequenas plantações de milho e arroz e agradece à Deus.E acaba se lembrando que no saco de estopa  guardava no passado grãos,utilizou para colocar pólvora antes ele chacoalhou o saco e deixa cair esses grãos que agora estavam se desenvolvendo.

VII-Terremoto-A terra começa a tremer, começa grande pavor a Robinson, que não pensa duas vezes em ficar fora de seu castelo,depois de um furacão,chove forte.Robinson percebe que era um terremoto e que deveria mudar o local de sua moradia porque tinha medo de ser soterrado na rocha,caminha pela praia e encontra o navio novamente e utiliza as madeiras para construir seu abrigo.

VIII-Febre e meditação-Com um pesadelo em meio as suas alucinações febris Robinson se dá conta de que era um homem ingrato e que nunca tivera preocupações religiosas e pegando a Bíblia refletia e percebia que graças à Deus ele estava vivo e havia sobrevivido à tantos males e  percebe que sua cura estaria no fumo, que curara a malária no Brasil.

IX-"A casa de campo"-Ao fazer um reconhecimento de um vale no oeste da ilha , encontra várias guloseimas como uvas, melões e uma bela paisagem com ar puro enfim ele quer mudar sua moradia para esse vale ,só que percebe que a região onde fica sua casa é de fácil acesso ,caso avistasse alguma embarcação.Vem a mente construir nesse vale sua casa de campo.Tendo agora duas casas: a de campo e a de praia.

X-A estação de chuvas:A percepção de Robinson em diferenciar a época para cultivar o seu plantio.Fez cerca em círculo para proteger sua casa de praia.

XI-Expedição de reconhecimento-Com outra parte da ilha que dava vista para uma região que para Robinson era habitada por canibais comedores de gente.

XII-A vida entra na rotina-Chegava outro 30 de Setembro que ele fazia sua cerimônia religiosa jejuando e a sua cabrita se tornava dócil e fazia parte de sua vida e o seguia aonde ele fosse,determinava seu dia para ler a Bíblia ,caçar e colocar ordem na casa.

XIII-Novos ofícios-Conseguiu com improviso conquistar várias profissões e adequálas de forma melhor que os da própria Europa.

XIV-O barco-A tentação em conhecer a outra parte da ilha era grande, a ponto de construir uma canoa, mas com pressa não pensou em como jogá-la  no mar de tão pesada .Acabando por desistir do projeto.

XV-Roupas originais e outro barco - por falta de roupas e por princípios morais Robinson não queria ficar nú ,por isso fez roupas com peles de animais que havia matado ,fazendo um guarda-chuva,boné e depois da desastrosa experiência da outra canoa, passou a construir outra próxima do rio ,onde quando o mar ficava alto a conduzia para adentrar ao mar,a conduzindo para a outra parte da ilha , para isso precisaria fazer alguns testes que comprovassem que sua embarcação, era capaz de flutuar até o rumo desejado.

XVI-Trágica expedição marítima-já era o sexto ano na ilha devido a correnteza, Robinson foi levado bem distante ao seu local de moradia .No outro lado da costa e no dia seguinte voltou para seu castelo a pé.

XVII-O rebanho de cabras-Vivia entre seu castelo e sua casa de campo ,começou o seu rebanho de cabras que em dois anos de doze cabeças passaram para quarenta e três cabeças.

XVIII-"O reino" está pronto-Estava feliz naquele reino que construiu ,pois não lhe faltava nada a não ser a solidão por não ter alguém humano com quem conversar.

Terceira Parte - "O reino ameaçado"

I - Pegada na areia-Quinze anos na ilha um mistério para Robinson que o amedrontou,o medo e a ansiedade eram constantes.De quem eram aquelas pegadas encontradas na praia?

II - Ritual de morte-ao explorar o lado sudoeste da ilha, descobre um altar onde fora feito um ritual ,onde se encontravam as cinzas e os ossos de seres humanos.

III-Coragem passageira,medo constante: Tinha tomado uma atitude ,a de enfrentar seus supostos inimigos, até que se deu conta de quem era ele e com que direito cometer crime com suas próprias mãos.Eles não eram piores que os cristãos.Quantos exércitos cristãos passaram pela espada, batalhões inteiros que a eles se renderam.Como dar razão aos espanhóis que depois de serem tratados como amigos pelos índios,os mataram.

IV-O perigo se avizinha-Começam a aparecer indivíduos com tochas,Robinson acha ser dos selvagens e os segue e tenta descobrir o por que de parte deles estarem perto de sua moradia , enquanto os outros permaneceram no mesmo lugar.Era matar ou morrer.

V-Outro navio naufragado-Em busca ao navio que estava sofrendo o perigo da tempestade e não encontra nenhum sobrevivente ,encontra um cachorro e algumas roupas.Sempre com a esperança de encontrar alguém,mais isso não ocorre.

VI-Um estranho sonho-Sonhava que os surpreendia e os rendia e quando acordou percebera que era o jeito para voltar ao seu mundo capturando um deles na hora oportuna.

Quarta Parte - O amigo Sexta-feira.

I - Sexta-feira aparece na ilha - Ao salvar um fugitivo dos antropófagos, o conduziu até a sua moradia e o nomeia como Sexta-feira devido ao dia em que havia ocorrido a sua captura e salvamento.

II-Sexta-feira adquire novos hábitos-os ensinamentos a Sexta-feira,a língua,o trabalho,os costumes ministrados por Robinson Crusoé.

III-Sexta-feira reaviva antiga esperança - A explicação de sexta-feira ao Robinson de como se conduzir e que existiam homens iguais a Robinson, que mataram muita gente , logo Robinson percebe que seria os espanhóis e a ajuda de Sexta-feira seria fundamental.

IV-Sexta-feira torna-se um bom cristão-A maneira como sexta-feira falava de um ser paralelo como de Robinson era Deus.E Sexta-feira conta sobre as pessoas que estão na sua terra e como são parecidos com ele e que naufragaram de um navio.

V-Sexta-feira ajuda a construir um barco-Robinson percebe que Sexta-feira poderia, ao ter oportunidade, fugir para sua casa e então tenta mandá-lo embora,mas ele não quer e com a ajuda dele constrõem um barco.

VI-Sexta-feira salva seu pai-Juntamente com Robinson ,Sexta-feira luta contra os outros antropófagos que faziam outro ritual com um  prisioneiro e acabam salvando-os sem saber que um deles era seu pai.

Quinta Parte - "A Conquista da Liberdade".

I - "Novos súditos do reino".-O risco de ajudar os náufragos espanhóis segundo Robinson pois ele era Protestante.Porém um dos que tivera salvo, prometera que isso não ocorreria pois seriam gratos.

II-Preparativos para receber os náufragos-Ajudado por Sexta-feira e Robinson o espanhol e o pai de Sexta-feira receberam ordens que só poderiam trazer os homens que lhe jurassem obediência e lealdade.Construindo um barco ,os armando e lhes dando alimentos, para os dias em que estivessem navegando e trazendo os indivíduos.

III-Um navio surge no horizonte-Aparece um navio Inglês, com dois prisioneiros e Robinson vai até os prisioneiros e descobre o por que deles estarem presos .Sendo um   o Capitão e logo após isso na conversa Robinson os convence e os ajuda a surpreender os marinheiros revoltosos que se encontraram.

IV-A ilha vira campo de guerra-A suspeita por não voltarem ao navio ancorado os insegura, os que esperavam .Logo,mandou alguns homens fortemente armados que chegando lá, foram sendo induzidos por Sexta-feira a adentrar na mata, a ponto de serem rendidos e alguns mortos por aqueles que os esperavam ,inclusive Robinson.

V-A Conquista do navio-O sucesso do Capitão e o seus diante dos inimigos da mesma embarcação e trazem o navio até a baía onde surpreeendera Robinson ,com a oportunidade de voltar.

VI-O embarque-Conclui que os prisioneiros deveriam viver no desterro, ao invés de morrerem com as duras penas,de modo que acolhessem o pai de Sexta-feira e os náufragos espanhóis .E seguiram rumo à civilização.

Sexta Parte - "Retorno a civilização".

I - A Inglaterra  está mudada-Trinta e cinco anos fora da Inglaterra ,não era mais a mesma ou seria Robinson que teria mudado .A fidelidade de Sexta-feira acompanhando Robinson .Encontra na Inglaterra duas irmãs nascidas depois de sua partida,os sobrinhos,filhos de um dos seus irmãos e o desaparecimento de seus pais.

II-Em Lisboa,a descoberta da fortuna-descobre em meio ao Capitão que o ajudara, quando foi para o Brasil, que se tornara um homem rico e que o Capitão não poderia usufruir do seu dinheiro, pois sua morte não fora comprovada.Mas agradecendo aos favores Robinson fez uma procuração para que o Capitão já velho ,tivesse direito ao conforto no fim de sua vida.

III-Assentando juízo...por pouco tempo.- Percebe que na ilha não precisava de nada,além do que possue,adotou seus sobrinhos,vendeu as suas terras no Brasil.Casou, teve três filhos ,dois rapazes e uma moça.Sua mulher morre precocemente.Seu sobrinho o convida para viajar com ele no navio e acaba não resistindo a tentação pois curaria a dor da saudade presente a todo momento.

IV-De volta à ilha.-Observa que os espanhóis estão muito bem lá e que  vencera os ingleses e viveram em paz.Chegando ao Brasil fretou um navio levando para a ilha várias coisas úteis para os habitantes e algumas mulheres para se casarem com todos eles.Visitando a ilha ,repartindo-a em lotes para todos,a população crescia.

          Análise:"Robinson Crusoé".
          De que forma é mostrado o Imperialismo,a Religião,as Invenções e os Conceitos do Século XVIII?
          Robinson Crusoé pertence a classe média,logo a que estava em ascensão, pois com o comércio e a indústria onde no começo da narrativa seu pai diza à ele que a classe média nunca é afetada,a rica e a pobre sim,porém ela não,mostrando assim que o individualismo predominava naquela família que encontravam-se nesta camada social.
         A narrativa intercala um paralelo entre as aventuras marítimas da Europa em busca de grandes feitos e explorações realizadas nas localidades a serem descobertas por eles e alcançando seus objetivos,investiam em grandes frotas marinhas,enfrentando seus rivais, como os espanhóis e os franceses.
        Percebe-se  o isolamento de Robinson numa ilha sem nenhuma comunicação humana e nesta aventura nota-se a capacidade de sobrevivência do ser humano, impedido de qualquer comunicação com o mundo exterior.
        Relata suas aventuras no mar até que naufraga em uma ilha isolada,onde permanece por mais de vinte anos longe do contato humano,sobrevive graças ao seu esforço de exploração e disposição para o trabalho,munido de algumas ferramentas que lhe restou,também soube aproveitar o que existia na natureza para servir-lhe de sustento diante desta nova moradia.
        Daniel Defoe quer despertar no leitor uma grande fantasia pela aventura e como lidar com as dificuldades enfrentadas,usando apenas a inteligência e a disposição de enfrentar o trabalho árduo para conseguir sobreviver em qualquer lugar do planeta.Se Robinson Crusoé sobreviveu em uma ilha sozinho com a sua coragem para enfrentar tudo,outros seres humanos também serão capazes de fazer a mesma coisa,basta ter coragem.Nesta obra cheia de aventuras,também está o cidadão Daniel Defoe,um Inglês protestante e também um dos grandes defensores do ser humano ,em poder usar a sua capacidade para sobreviver,mesmo enfrentando as piores situações difíceis da vida.Outra demonstração que nos é dada  pelo autor é a sua fé em Deus.Baseada na doutrina Protestante e o uso da Bíblia para aliviar os maus pensamentos e esquecer a solidão.
      Por um lado crítico pode-se observar no autor a sua disposição ao trabalho e leitura constante da Bíblia.Desta maneira ele demonstraria a sua fé em Jesus Cristo e ampliaria muito mais a sua prosperidade,o que fora muito pregado antes por João Calvino,um dos fundadores do Protestantismo.Esta prática do Robinson Crusoé é o querer se isolar do mundo para buscar somente as coisas do Paraíso Celeste, e o trabalho duro é uma forma de antídoto para manter uma aversão aos problemas sociais.O autor não se interessa muito pelos problemas sociais.
     Outra forma de Robinson Crusoé manter distanciado dos problemas sociais é o da maneira que ele enfrenta todas as dificuldades na sua ilha, sem lembrar da sua famíla ou mesmo sentir a falta de uma mulher a seu lado.No momento em que encontra o índio Sexta-feira,ele está muito mais preocupado em convertê-lo na cultura e religião inglesa, do que conhecer a cultura do povo  de onde este viera.Em primeiro lugar,o Robinson impõe ao índio o Jesus Cristo da civilização européia.Desrespeitando as características dos costumes indígenas,e ao mesmo tempo dizer que a inglesa tinha espírito de aventura fundamentada nos princípios do Cristianismo,era portanto,uma civilização superior aos nativos.
      Entre a narrativa do livro e o filme percebe-se uma grande distorção no filme,uma vez que neste, entram personagens que não estão presentes  no livro.Mas acreditamos que o filme é feito com muito mais interesse comercial do que para mostrar tudo sobre Robinson Crusoé do livro.O Robinson do filme precisa passar por mais conflitos e são criadas cenas capazes de prender muito quem está assistindo o filme.Diante disto cabe ao telespectador ter um espírito imaginário ,mergulhando-o nas aventuras de Robinson Crusoé, poderoso e criativo ,capaz de despertar bem mais pelo fato de existir mais cenas conflitantes, do que somente de um Robinson calmo,lendo a Bíblia, ao lado de gatos,cachorro e papagaio.
      Analisando conjuntamente a narrativa e o filme percebe-se que nesse individual ,no caso de Robinson,de que podemos encaixar a crença na possibilidade de o homem conseguir a perfeição através da luta pela sobrevivência,pois Robinson apesar de não ter conhecimentos de certas profissões para fazer certas coisas que precisava para seu benefício,pois mesmo improvisando de uma certa forma ,aprimorou seus conhecimentos na realidade que estava vivendo, de forma superior ao daqueles indivíduos que praticava os tipos de serviços que fora realizado por Robinson.
    Sabemos que por trás de Robinson está Daniel Defoe ,que por meio de seu personagem  faz uma espécie de crítica à religião dos Cristãos Espanhóis que ao serem recebidos como amigos pelos índios nas novas terras, acabavam por matá-los sem piedade.Mas nessa questão religiosa não podem frisar muito, pois a Protestante ao colonizar os Estados Unidos, mataram todos os índios.A troca de mercadorias por outras coisas. A noção da agricultura em relação ao período do plantio.A luta dos revoltados relaciona a Revolução Industrial.A produção de alimentos feito por Robinson Crusoé, traça o paralelo de que conforme o aumento da população ,maior será a produção de alimentos.O Imperialismo é o reino que Robinson constrói e que mais tarde o divide em lotes.

Roseli Princhatti
Enviado por Roseli Princhatti em 06/01/2010
Reeditado em 20/05/2010
Código do texto: T2014405
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Roseli Princhatti
São Paulo - São Paulo - Brasil
1283 textos (425514 leituras)
1 e-livros (55 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/08/17 18:45)
Roseli Princhatti