Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Patrimônio Histórico

CEFET – Departamento de Linguagem e Tecnologia
Curso de Letras - Disciplina: Cultura Brasileira
Profa. Dra.: Laura Nogueira Oliveira
Aluno: Luís Antônio Matias Soares

Patrimônio Histócio e Cultural
1) Introdução: a que situação contraditória se refere o autor na introdução de seu texto?
Ao fato de surgirem duas noções de patrimônio no contato da população com este termo: de um lado o patrimônio é visto unicamente como uma série de bens velhos, distantes e, principalmente, alheios, como as igrejas barrocas, os prédios antigos, etc. De outro lado o autor aponta uma série de comunidades/entidades civis que mobilizam-se para se apropriarem verdadeiramente de seus bens culturais e locais.
2) O patrimônio, do indivíduo à coletividade: defina patrimônio a partir do ponto de vista individual.
Do ponto de vista individual, o patrimônio se assemelha um pouco ao conceito adotado na Roma antiga: o patrimônio de um indivíduo é tudo aquilo que ele conquistou durante a vida e que pode ser transmitido aos herdeiros, como os bens materiais, imóveis ou objetos, bens de valor sentimental (fotos, lembranças em objetos como livros, etc.), bens espirituais (ensinamentos, lições de vida, etc.).
3) A trajetória do patrimônio no contexto mundial: discorra sobre a origem latina da palavra Patrimônio.
Patrimônio, entre os romanos, era tudo o que pertencia ao pai, pater famílias, pai de família. A familia compreendia tudo o que estava sob domínio do pai/senhor, inclusive as pessoas, mulher e filhos, os escravos, os bens móveis e imóveis e os animais
4) O Estado Nacional e a intervenção do patrimônio: quais são as duas tradições do direito.
A tradição latina e a tradição anglo-saxônica.
A tradição latina a propriedade privada fica sujeita a maiaores restrições decorrentes dos direitos do outro e dos direitos coletivos.
Na tradição anglo-saxônica o dirieto é mais tênue e as limitações ao direito de propriedade são menores. Os bens, por exemplo, achados em uma propriedade, são de direito do proprietário, mesmo se tais bens forem petróleo, vestígios históricos, etc.
5) O Nacionalismo e o patrimônio: no início do século XX (1906), surgem na França e nos Estados Unidos as primeiras leis de proteção ao patrimônio históricos daqueles países. Como é visto o patrimônio histórico nestes países?
 O patrimônio é entendido primeiramente como um bem material concreto, um edifício, objetos de alto valor material e simbólico para a nação. Parte-se do pressuposto de que existem valores comuns compartilhados por todos os cidadãos e que representa a nacionalidade.
6) O patrimônio mundial e a diversidade: explique o que é a imaterialidade do patrimônio.
É o patrimônio percebido para além de um simples bem material, mas como parte essencial da apropriação humana efetivada sobre a materialidade das coisas. Exemplo: uma paisagem não é apenas um conjunto de árvores, montanhas e riachos, mas algo que foi apropriado pelo ser humano.
7) A Unesco e o patrimônio cultural da humanidade: qual a grande novidadade conceitual decorrente da conferência geral da Unesco ocorrida no ano de 1972?
A partir do reconhecimento da diversidade, a novidade consistiu em considerar que os sítios declarados como patrimônio da humanidade pertenciam não unicamente à população da localidade aonde o patrimônio se localizasse, mas a toda a  humanidade, a todos os povos do mundo.
8) Segundo a convenção da Unesco em 1972, de que se compõe o patrimônio da humanidade?
- Monumentos: obras arquitetônicas, esculturas, pinturas, vestígios arqueológicos, inscrições, cavernas.
- Conjuntos: grupos de construções.
- Sítios: obras humanas e naturais de valor histórico, estético, etnológico ou científico.
- Monumentos naturais: formações físicas e biológicas.
- Formações geológicas ou fisiográficas:  habitat de espécies animais e vegetais ameaçadas de extinção.
- Sítios naturais: áreas de valor científico ou de beleza natural.
9) A preservação do patrimônio cultural na América Latina: discorra sobre a valorização do patrimônio na América Latina.
As políticas de preservação do patrimônio cultural na América Latina são muito recentes. Elas surgiram basicamente a partir do momento em q ue a Unesco reconheceu alguns bens culturais latino-americanos como patrimônio da humanidade.
10) As cartas patrimoniais e suas proposiçoes: dê exemplos das modificações introduzidas no patrimônio cultural a partir das convenções realizadas ao longo da segunda metade do século XX, como a Carta de Veneza e a Declaração de Amsterdã.
Acentuaram-se as preocupações com a restauração, a adoção de normas internacionais de proteção, ampliou-se o conceito de monumento e expou-se a preocuçaão com a preservação de obras consideradas modestas que tenham adquirido siginificação cultural, proteção de conjundos de bairros ou aldeias que apresentem interesse histórico e cultural. A Declaração de Amsterdã introduziu orientações para viabilizar a implantação de políticas de conservação integrada, inaugurando uma abordagem pautada pela noção de integração do patrimônio à vida social e conferindo ao poder público municipal a responsabilidade de elaborar programas de conservação e aplicar os recursos financeiros angariados para esses fins. O documento recomendava também o envolvimento da população nos processos de preservação.
11)  Uma nova paisagem para o centro histórico de Lima: por que o projeto de reabilitação do centro histórico de Lima inicialmente não logrou efeito?
Para as autoridades municipais limenhas, a degradação do centro histórico estava associada apenas ao uso inadequado do solo urbano e à pobreza de seus habitantes e as primeiras ações em prol da recuperação do patrimônio limitaram-se ao embelezamento dos monumentos e à limpeza dos espaços públicos.
12) O programa de reabilitação do centro histórico de Quito: em que bases se sustentou o projeto de reabilitação do centro histórico desenvolvido na década de 90?
 O projeto pautou-se pelo resgate da tipologia das construções, pela sustentabilidade econômica do local e pela inclusão social da população. O projeto visou ainda a revitalizar as atividades comerciais e os serviços tradicionais, bem como a recuperação do conjunto de moradias.
13) Políticas patrimoniais no Brasil: impasses e realizações.
Cite dois exemplos de proteção patrimonial constantes da Constituição de 1934.
A constituição de 1934 declarou o impedimento à evasão de obras de arte do território nacional e introduziu o abrandamento do direito de propriedade nas cidades mineiras , quando esta se revestisse de uma função social.
14) Quais são as funções do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)?
O Instituto se encarrega da identificação, catalogação, restauração, conservação, preservação, fiscalização e difusão dos bens culturais em todo o território brasileiro.
15) Quais as novas categorias de bens a serem preservados foram criadas a partir da Constituição de 1967?
A Constituição de 1967 elegeu como patrimônio as jazidas e os sítios arqueológicos, anteriormente classificados apenas como locais de valor histórico.
16) Como se deu a preservação do patrimônio a partir da década de 80?
A partir dos anos 80 a proteção a monumentos isolados, outrora priorizada, foi suplantada pela preservação dos espaços de convivência, assim como pela recuperação dos modos de viver de distintas comunidades, manifestas, por exemplo, na restauração de mercados públicos e de outros espaços populares.
Luís Antônio Matias Soares
Enviado por Luís Antônio Matias Soares em 14/05/2012
Reeditado em 21/05/2012
Código do texto: T3666769
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luís Antônio Matias Soares
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 52 anos
369 textos (44867 leituras)
7 e-livros (426 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/14 07:22)
Luís Antônio Matias Soares



Rádio Poética